A tradição culinária finlandesa que combina canela, cardamomo, açúcar e amor

O gosto é divino, combina com café ou chá e faz parte da essência da sociedade finlandesa. Para experimentar o melhor que a Finlândia tem a oferecer, você precisa provar um korvapuusti.

ler artigo

Vamos deixar aqui três grandes palavras para você, sendo uma delas em finlandês: onipresente, quintessencial e korvapuusti. Esta última é a palavra finlandeses para o seu pão doce especial de canela, aromatizado com uma pitada de cardamomo.

“Onipresente” e “quintessencial” são adjetivos que os blogueiros de viagem adoram usar ao descrever o korvapuusti (conhecido como örfil em sueco, também uma língua oficial na Finlândia). A escolha dos adjetivos indica que o pãozinho saboroso está, assim como o café, sempre presente e é algo vital na Finlândia.

É tão popular, que praticamente toda embalagem de farinha no supermercado tem uma receita de korvapuusti impressa. Famílias finlandesas muitas vezes as fazem em casa como uma guloseima doce para o fim de semana. (Listamos um dos nossos links de receitas favoritas no final deste artigo.) Para as visitas de última hora, as lojas também vendem versões congeladas, que podem ser colocadas no forno, deixando aquele cheiro divino dos pãezinhos recém-assados pela casa.

De acordo com confeiteiros profissionais, o segredo para o perfeito korvapuusti é usar a quantidade certa de açúcar e manteiga. Polvilhar pitadas generosas de açúcar cristal no topo dá os últimos retoques na massa.

Apaixonados por um pãozinho

Esta fornada de korvapuusti da Helsinki Homemade é enrolada num formato fora do comum.
Foto: Mari Storpellinen

Curiosamente, tanto a palavra “korvapuusti” quanto a versão sueca “örfil” significam, literalmente, um tapa na orelha. Por que será que um pãozinho tão amado tem um nome aparentemente tão negativo?

“O nome vem da forma usual da massa, que se assemelha a duas orelhas colocadas diametralmente”, diz Arja Hopsu-Neuvonen, gerente de desenvolvimento da Martat, uma organização finlandesa de economia doméstica fundada em 1899.

Existem, no entanto, outras variações do korvapuusti onde a forma da orelha foi abandonada, mas os ingredientes e o artesanato permanecem os mesmos.

“O korvapuusti também pode ser apreciado na forma de um bolo”, diz Thomas Backman, proprietário do Café Succès no bairro central de Helsinque, Ullanlinna. Ele diz que também vende um biscoito korvapuusti, que é uma barrinha mais dura parecida com um biscoito. “Estamos estudando o crescimento de nossa seleção de subprodutos à base de korvapuusti, já que ele é o nosso produto mais vendido”. O korvapuusti do Café Succès é um dos favoritos entre os habitantes de Helsinque e é conhecido por ser maior que a média.

Outro local popular para os fãs de korvapuusti é a Helsinki Homemade, uma padaria artesanal no bairro de Töölö. Ela se baseia na antiga tradição finlandesa de servir café feito no filtro, recém-moído, em xícaras com pires. Os moradores sortudos da redondeza contam como é luxuoso acordar com o cheiro de korvapuusti recém-assado.

“O ingrediente especial do korvapuusti é o amor”, diz Klaus Ittonen, batendo a mão no peito. Ele é co-fundador e confeiteiro da Helsinki Homemade. Ele começou seu negócio vendendo korvapuusti e tortas carelianas aos turistas de bicicleta, antes de fundar a confeitaria junto com Kátia Corrêa.

“O korvapuusti precisa ser feito com amor para dar certo”, diz Ittonen. “Parece bobeira falar isso, mas é assim que é.”

Sempre favorito

As origens do korvapuusti datam de 1800 no mínimo.Foto: Taru Rantala/Vastavalo/Visit Finland

As várias versões dos korvapuusti deleitam o gosto dos finlandesas desde o século XVIII.

“Produtos de confeitaria de trigo chegaram da Alemanha à Finlândia, via Suécia, no século XVIII, mas no início eram disponibilizados apenas para a classe alta”, diz Hopsu-Neuvonen. “Até o final do século XIX, os korvapuusti também alcançaram as cozinhas das pessoas comuns.”

Ainda assim, o processo foi gradual: “Tornou-se realmente popular somente após a Segunda Guerra Mundial, quando os ingredientes estiveram mais disponíveis.”

Assim que o korvapuusti entrou na vida de todos os finlandeses, não houve como impedir que se tornasse um favorito nacional. Desde a metade da década de 2000, o pãozinho korvapuusti tem seu próprio dia (Dia do Korvapuusti), comemorado em 4 de outubro.

Fazendo do mundo um lugar melhor

A língua finlandesa tem um termo específico para se referir a um café com pãozinho “pullakahvit”; Klaus Ittonen da Helsinki Homemade ama a palavra.Foto: Mari Storpellinen

Para os interessados em aprender a arte de fazer o korvapuusti, a Helsinki Homemade organiza oficinas de panificação. Ittonen está interessado em espalhar o conhecimento sobre esta iguaria finlandesa. Prepare-se para outra palavra do vocabulário finlandês.

“Pullakahvit é a palavra mais bonita do mundo”, diz Ittonen, usando o termo finlandês que significa café saboreado com um pão doce (literalmente “pãozinho doce com café”). Em muitos casos, esse pãozinho é um korvapuusti.

É isso mesmo: os finlandeses amam tanto o seu café com korvapuusti que há, na verdade, uma palavra especial para isso.

Sendo verdadeiramente apaixonado pelo que faz, Ittonen tem uma visão bastante filosófica do pullakahvit:

“É o destaque do dia, um prazer que traz de volta memórias da infância nas pessoas. Não é hora de contar calorias. Um bom café combinado com um korvapuusti caseiro torna o mundo um lugar melhor ”.

Versões veganas

Vários lugares em Helsinque também oferecem variantes veganos dos korvapuusti.
“O leite pode ser substituído por leite de aveia, ou apenas água pura, e a manteiga por margarina vegetal”, diz Arja Hopsu-Neuvonen, da organização finlandesa de economia doméstica Martat. Em vez de pincelar o topo do korvapuusti com mistura de ovos antes de assar, você pode usar um acabamento de margarina derretida.

Por Mari Storpellinen, setembro de 2018

Veja também no thisisFINLAND

Links