Os imperdíveis passeios assombrados de Helsinque

O Halloween (31 de outubro) é uma data tradicional para atividades fantasmagóricas, mas as histórias de fantasmas de Helsinque são assustadoras em qualquer época do ano. Os passeios assombrados da cidade perpetuam lendas assustadoras.

ler artigo

“Helsinque é perfeita para histórias de assombrações – muitos edifícios na área central da cidade têm seu próprio fantasma.”

Essa afirmação de Karri Korppi, que dirige a empresa de turismo Happy Guide Helsinki, pode surpreender algumas pessoas. Afinal, Helsinque é mais conhecida por sua arquitetura moderna de ponta do que por seus cemitérios assustadores e mansões sombrias e pouco iluminadas.

Korppi explica que grande parte da cidade como a conhecemos foi construída em cima de cemitérios. A Igreja Ulrika Eleonora do século XVIII e seu cemitério, por exemplo, deram lugar à Praça do Senado no século XIX, que hoje é um dos pontos principais de Helsinque.

O cemitério, que agora é um parque agradável ao lado da Igreja Velha, fica em uma rua arborizada chamada Bulevardi. É coloquialmente conhecido como “Parque da Praga”, porque centenas de vítimas da epidemia do século 18 foram enterradas lá. No entanto, poucas pessoas sabem que este local era permeado por cemitérios que se estendiam pelo distrito de Kamppi.

Roteiro de terror

Há rumores de que o hotel Katajanokka, localizado em uma antiga prisão não muito longe do centro de Helsinque, pode acomodar um hóspede assustador: um fantasma que às vezes bate as portas.
Foto: Peter Marten

Korppi não revela como, e nem mesmo se, algum desses locais fazem parte dos populares passeios assombrados por Helsinque (Helsinki Horror Walks, como são chamados em inglês) de sua empresa. “Trata-se de um passeio temático que segue o curso de um roteiro”, diz ele. “Nós não somos atores, mas fazemos o roteiro para que as histórias funcionem de maneira organizada. O que não é segredo é que começamos na antiga prisão de Katajanokka.”

Os hóspedes do hotel que agora ocupa a antiga prisão podem ter certeza de que o fantasma residente, embora bata uma ou outra posta ocasionalmente, é bonzinho. Outro fantasma famoso, um coronel sem cabeça chamado Aleksi, é conhecido por assombrar um edifício no distrito de Kruununhaka, segurando sua cabeça debaixo do braço e passeando no elevador.

Não se sabe ao certo se trata-se do mesmo soldado sem cabeça que circula pela ilha de Vallisaari, originalmente parte do forte marítimo de Suomenlinna, ou se Helsinque é especialmente propensa a espíritos decapitados.

O fantasma do porão

Quando o crepúsculo cai em uma noite de outono, as luzes quentes nas janelas altas do Kappeli acenam para possíveis clientes; eles podem não saber sobre o fantasma que supostamente assombra o porão do restaurante.
Foto: Sari Gustafsson / Lehtikuva

Para os caçadores de fantasmas na capital finlandesa, o Happy Guide Helsinki é um operador de destaque, que oferece passeios públicos e privados. Outra opção é o passeio assombrado do Museu da Cidade de Helsinque (Helsinki City Museum’s Ghost Walk, como é chamado em inglês, oferecido em finlandês e, ocasionalmente, em língua inglesa), que parte do museu localizado na Aleksanterinkatu 16 e segue em direção ao Kamppi.

Helsinque é uma cidade tão moderna que chega a ser uma surpresa que abrigue tantos fantasmas. Minha reunião com Karri Korppi e seu colega Emil Anton aconteceu na Esplanade, no elegante restaurante Kappeli, fundado no final do século XIX.

Durante nossa conversa, sinto aquele arrepio no pescoço quando Korppi e Anton contam sobre o kellarin kummitus, o fantasma do porão.

Mantendo a característica típica dos fantasmas de Helsinque, este parece ser mais um tipo zangado do que exatamente malévolo. “É o fantasma de Josef Wolontis, que gerenciou o Kappeli nas décadas de 1880 e 1890, quando este era o local preferido do compositor Jean Sibelius e do artista Akseli Gallen-Kallela”, diz Korppi.

Wolontis oferecia café da manhã gratuito a todos no Kappeli às segundas-feiras, no final de suas festas. Ele era muito apreciado, uma espécie de magnata dos restaurantes de sua época, com um certo monopólio na área. Segundo Korppi, Wolontis é o fantasma mais irritado de Helsinque, porque seus restaurantes não têm mais esse monopólio. No entanto, os funcionários do restaurante não parecem perturbados com a presença dele, apesar de vários afirmarem terem experimentado suas travessuras movendo os móveis.

Urban legends

Os pedestres passam por lápides e monumentos no Parque da Igreja Velha, também conhecido como Parque da Praga, devido às centenas de vítimas da praga que foram enterradas nas proximidades em 1710.
Foto: Peter Marten

Esse é o tipo de história que agrada tanto aos moradores quanto aos visitantes de Helsinque. “Mesmo se você viveu toda a sua vida aqui, prometo que encontrará algo sobre o que nunca ouviu falar antes”, diz Korppi. “Contamos a história alternativa de Helsinque através de seus contos de fantasmas e lendas urbanas. Isso inclui teorias da conspiração, bem como assassinatos notórios.”

E será que estes caça-fantasmas realmente acreditam neles? “Me interesso por prédios assombrados e fantasmas desde a época em que minha irmã via uma senhora andando pela casa de nossa família, na cidade finlandesa de Kouvola, no sudeste do país”, diz Korppi. “Mas exatamente o que é um fantasma – essa é outra história.”

“Sou aberto à possibilidade de que os espíritos das pessoas mortas possam se manifestar”, diz Emil Anton. “Ouvimos muitas experiências e muitos testemunhos. A quantidade considerável de experiências me inclina a aceitar a ideia mais do que rejeitá-la.”

Onde procurar por fantasmas na capital finlandesa

Passeios assombrados por Helsinque (Helsinki Horror Walks) com a empresa Happy Guide Helsinki, disponível em finlandês e em inglês.

Passeio assombrado do Museu da Cidade de Helsinque Helsinki City Museum’s Ghost Walks, ocasionalmente oferecido em inglês, com três opções de rota: a Promenade Ghost Walk (passeio assombrado da Promenade); a Kruununhaka Ghost Walk (passeio assombrado de Kruununhaka); e a opção que vai de Töölö à diante.

Por Tim Bird, outubro de 2019

Veja também no thisisFINLAND