Moomins da Finlândia: de livros amados a canecas cobiçadas

Este ano marca o 75º aniversário do primeiro livro Moomin, que apresentou o elenco de personagens que ganhou fama internacional. Conversamos com a designer responsável por uma das mais inusitadas histórias de sucesso dentre as tantas de Moomin: as canecas que você pode encontrar em quase todos os lares finlandeses. Elas são tão populares que alguém até escreveu uma tese de mestrado sobre elas.

O primeiro livro Moomin, Os Moomins e o Dilúvio, foi publicado em 1945. Os personagens excêntricos começaram a conquistar os corações das pessoas ao redor do mundo e se tornaram uma parte valiosa da cultura da Finlândia.

A inventora dos Moomins foi o autora e artista Tove Jansson (1914-2001), uma finlandesa do grupo linguístico que fala sueco (o sueco é uma das línguas oficiais da Finlândia). Posteriormente, ela escreveu e ilustrou oito livros adicionais sobre os personagens, bem como vários outros livros ilustrados e inúmeras histórias em quadrinhos.

Ao longo das décadas, uma grande variedade de produtos relacionados ao Moomin apareceu, incluindo brinquedos, histórias em quadrinhos, séries de TV e itens colecionáveis. A cidade de Naantali, no sudoeste da Finlândia, possui um parque temático chamado Moominworld (Mundo Moomin), e a cidade centro-oeste de Tampere abriga o Museu Moomin.

Uma das maiores histórias de sucesso de produtos Moomin na Finlândia são as canecas temáticas de cerâmica. Sua popularidade foi inicialmente uma surpresa, mas elas se tornaram objetos de coleção muito procurados.

A empresa de cerâmica finlandesa Arabia produz canecas e pratos com o tema Moomin desde 1990. Sempre que uma nova caneca Moomin é lançada, as pessoas fazem fila do lado de fora de lojas designadas para colocar as xícaras novas. Mas por que exatamente as canecas são tão populares?

Como tudo começou

A designer Tove Slotte sentada em uma mesa ao lado de uma janela enquanto desenha em um pedaço de papel. Na mesa, há copos Moomin cheios de tesouras e lápis.

Tove Slotte leva três meses para projetar a arte de um novo conjunto de produtos.
Foto: Markku Toikkanen/Fiskars Finland

Tove Slotte é a designer de arte das canecas Moomin desde que as primeiras apareceram em 1990. Ela trabalhava para a Arabia como designer quando o gerente de produto teve a ideia de pratos com a temática Moomin. Foi um movimento natural que ele pedisse a Slotte para desenhar a arte, já que ambos haviam conversado anteriormente sobre seu amor mútuo pelos livros Moomin.

As primeiras produções tiveram uma recepção positiva. Enquanto os Moomins já tinham seguidores na Finlândia e em vários outros países, uma série de animação produzida no Japão alimentou um novo boom Moomin na Finlândia na década de 1990 e estendeu ainda mais sua fama global. As canecas também começaram a ganhar popularidade e, quando o terceiro conjunto foi lançado, elas já se tornavam um item padrão nos lares finlandeses. A Arábia  produziu mais de 100 temas diferentes de canecas Moomin, e Slotte desenhou a maioria.

Mais do que decoração

Uma caneca rosa com a imagem de dois personagens Moomin se abraçando enquanto o sol brilha.

A caneca Moomin mais popular é a rosa intitulada “Amor”. Está em produção contínua desde 1996.
Foto: Tosikuva/Fiskars Finland

“Quando começamos a produzir os conjuntos de pratos, nos encontramos com Tove Jansson para obter sua aprovação”, diz Slotte. “Ela era um ídolo para mim, então eu estava muito nervosa em conhecê-la, mas ela acabou se revelando uma pessoa muito receptiva.” A Jansson foi prometido que suas próprias ilustrações seriam a base para as canecas, mas Slotte faz o resto do trabalho: ela combina elementos de várias imagens e desenha o fundo e os temas coloridos. A inspiração e as ideias vêm diretamente dos livros Moomin, que ela folheia regularmente – com tanta frequência que ela praticamente os sabe de cor.

Para Slotte, as canecas representam o trabalho de sua vida. Os Moomins sempre foram importantes para ela e, mesmo quando criança, ela adorava desenhar os personagens Moomin. Ela tem um palpite sobre porque os Moomins e as canecas ressoam tão intimamente com os finlandeses: “Os finlandeses sentem uma conexão com a família Moomin, porque eles valorizam coisas semelhantes, como família e natureza. Moomins costumam fazer coisas que os finlandeses também gostam: eles partem em aventuras, acampam no arquipélago ou vão para a floresta.”

O Vale Moomin é o lar de uma variedade de personagens excêntricos, e todos podem encontrar um personagem com quem se identifiquem. “Meu personagem favorito tem variado ao longo dos anos”, diz Slotte, “mas atualmente gosto muito de Misabel, uma empregada doméstica melancólica, que tem um lado forte que aparece quando ela vive com a família Moomin. No ano passado, finalmente consegui criar uma caneca com ela. ”

É importante para Slotte que as canecas tragam alegria às pessoas. Ela ocasionalmente segue grupos online onde as pessoas discutem, compram e vendem canecas Moomin. “A maioria das pessoas diz que as canecas são algo que realmente gostam de ter e que as usam o tempo todo. Elas não são apenas objetos decorativos.”

Canecas com um significado

Um homem vestindo um macacão branco está sentado em uma rocha à beira-mar, segurando uma caneca Moomin na mão.

Os finlandeses sentem uma conexão com os personagens Moomin. Tanto os finlandeses quanto os moomins gostam de passar o tempo ao ar livre curtindo a natureza.
Foto: Mindre.fi/Fiskars Finland

Salla Korvanen escreveu sua tese de mestrado sobre os significados atribuídos às canecas Moomin, e perguntamos a ela sobre o motivo de sua popularidade. A própria Korvanen coleciona canecas de Moomin, e a ideia de sua tese surgiu uma noite, quando ela convidou amigos e lhes ofereceu café.

Ela disse a eles para escolherem uma caneca, e todos começaram a discutir sobre as canecas Moomin, sem prestar atenção a nenhuma das outras. “Comecei a me perguntar por que isso acontecia”, diz ela. “Eu queria descobrir que tipos de significados culturais são atribuídos às canecas pelas pessoas que as colecionam.”

Korvanen entrevistou nove colecionadores de canecas Moomin e descobriu que o significado que eles atribuíam às canecas sempre teve a ver com as emoções. “As pessoas não estão comprando canecas por necessidade”, diz Korvanen. “Eles estão comprando porque as canecas evocam sentimentos.”

As entrelinhas da história

Quatro pessoas estão sentadas em uma mesa jogando cartas e cada uma tem uma caneca Moomin diferente na frente delas.

As canecas também têm um lado social: você pode deixar seus amigos escolherem suas próprias canecas quando você servir o café.
Foto: Mindre.fi/Fiskars Finland

Em suas entrevistas, Korvanen discerniu três razões principais pelas quais as pessoas gostam tanto das canecas. Em primeiro lugar, as pessoas sentiram que as canecas se relacionavam com suas próprias vidas e histórias, e traziam de volta memórias nostálgicas. Em segundo lugar, as pessoas mencionaram que as noções e valores comumente associados aos Moomins eram importantes para elas. Em terceiro lugar, há um lado social em possuir canecas Moomin. “Você não apenas compra as canecas e as esconde”, diz Korvanen. “Você bebe café com os amigos e deixa que escolham uma, e isso também pode gerar um assunto sobre as canecas.”

Korvanen acredita que a popularidade das canecas Moomin se deve ao sucesso da marca da Arabia: quando as pessoas compram as canecas, elas sentem que estão comprando os significados e valores que os Moomins representam, bem como um produto confiável. “Você não está apenas comprando uma caneca, você está comprando a história toda”, diz ela.

Slotte concorda: “A importância da caneca vem da história. Muitas vezes penso que seria bom se as pessoas lessem a história por trás da caneca. As ilustrações nas canecas não são apenas uma superfície; eles têm significados mais profundos, é por isso que as pessoas se sentem atraídas por eles.”

Por Sanni Honkavaara, agosto de 2020