Em coletiva especial governo Finlandês responde às crianças

Pela primeira vez na história do país, a primeira-ministra finlandesa realizou uma coletiva de imprensa na qual os jornalistas eram crianças em idade escolar. Sanna Marin e suas colegas conversaram diretamente com crianças do país.

ler artigo

Desde meados de março de 2020, quase todas as crianças da Finlândia estão inseridas num sistema de ensino a distância, acessando aulas online em casa, devido a medidas para retardar a disseminação do Covid-19. No momento da redação deste artigo, a previsão para o retorno às escolas reais, de tijolo e argamassa, seria em meados de maio.

A maioria das crianças já se acostumou a participar de videoconferências e a entregar exercícios online. Muitos professores deram a seus alunos uma tarefa única em 24 de abril de 2020: assistir a uma coletiva de imprensa e ouvir a primeira-ministra Sanna Marin, a ministra da Educação Li Andersson e a ministra da Ciência e Cultura Hanna Kosonen.

Não se tratou apenas de um evento de mídia. Os repórteres que fizeram as perguntas via videolink eram crianças.

Esta foi a primeira conferência de imprensa realizada pelo governo finlandês para crianças, que de todo o país, puderam ouvir repórteres de sua idade expressarem suas preocupações – as mesmas que estão na mente de milhares de outras crianças no país.

As ministras responderam às perguntas olhando diretamente para a câmera.

Perguntas em nossas mentes

No estúdio de Yle, após o término da coletiva de imprensa, Emma e Aaron admitiram que estavam um pouco nervosos ao fazer perguntas à primeira-ministra na TV nacional. O título na tela diz: “Ministras respondem às perguntas das crianças”.Foto: ThisisFINLAND.fi

A conferência de imprensa ocorreu em finlandês e sueco, os dois idiomas oficiais da Finlândia, com interpretação simultânea na língua de sinais finlandesa.

Sete crianças fizeram as perguntas por diferentes meios de comunicação representados. Emma e Aaron estavam sentados no estúdio Galaxi da Yle, a empresa de transmissão nacional, enquanto Valdemar e Nuutti fizeram perguntas de suas casas em nome da Lasten Uutiset (Notícias para crianças), um departamento do periódico Helsingin Sanomat.

As questões variaram de: “Quando poderemos voltar para a escola?” e “Poderemos ir ao parque de diversões neste verão?” a “Quando poderemos visitar nossos avós e outros parentes um pouco mais velhos?” e “O que podemos fazer se estivermos estressados ​​ou assustados devido à situação?”

Sem dúvida, muitos pais e avós também estavam assistindo com interesse. Afinal, eles também respondem às perguntas de seus filhos e netos, e algumas delas são universais, independentemente da idade.

“Quanto tempo você acha que vai demorar até que o corona acabe e tudo volte ao normal?” perguntou uma garota chamada Ia.

Andersson respondeu: “Essa é uma pergunta muito boa que eu também fiz, mas também é muito difícil de responder… Nós, no governo, acreditamos que provavelmente teremos que ficar atentos ao corona por um longo tempo. E as regras que decidimos juntos, sobre como é importante lavar as mãos e manter distância de outras pessoas, e não visitar nossos avós pessoalmente… acreditamos que teremos que seguir essas regras por um bom tempo na Finlândia, até mesmo no outono.”

Estendendo a mão para o outro

Durante uma transmissão ao vivo, a primeira-ministra finlandesa Sanna Marin responde às perguntas de uma garota chamada Iiris enquanto outra aluna observa de casa. O título na tela diz: “Governo finlandês fala sobre a crise do corona”.Foto: ThisisFINLAND.fi

A última pergunta veio de Aaron, na Yle: “O que posso fazer pela Finlândia?”

A primeira-ministra Marin respondeu: “É claro que o trabalho mais importante das crianças no momento é acompanhar o aprendizado a distância, para garantir que continuem aprendendo, mesmo que essa escola não seja como a que estamos acostumados. E é claro que é muito importante manter contato com parentes, amigos e outras pessoas. Eu acho que muitos avós ficam felizes quando alguém liga e pergunta como eles estão e conta o que tem feito.”

Andersson disse: “Você já está fazendo muita coisa. Sabemos que o ensino a distância não é a coisa mais fácil do mundo… Outra coisa que você pode fazer e que acho muito importante é que cuide não apenas de seus avós, mas também de seus amigos. Se você notar que não conversa com um de seus colegas de classe há muito tempo, ou se alguém parece um pouco deprimido ou não participa das aulas à distância como de costume, é uma boa ideia entrar em contato e perguntar se está tudo bem e se você pode ajudar.”

“Podemos animar uns aos outros”, acrescentou Kosonen. “Isso é muito importante, como Sanna e Li disseram. Uma pequena mensagem ou telefonema para um amigo ou avós … Essa foi uma ótima pergunta.”

De volta ao estúdio de Yle, após a conferência de imprensa, Emma e Aaron discutiram como foi. “O que você achou das respostas das ministras?” perguntou a repórter da Galaxi Jasmin Beloued.

“Eu entendi tudo muito bem”, disse Emma. “Elas foram muito diretas sobre como as coisas são, e sobre o que você pode fazer e o que não é permitido. Fiquei decepcionada por não podermos visitar nossos avós por um longo tempo”.

Por Peter Marten, abril de 2020

Veja também no thisisFINLAND