Finlandia por Jean Sibelius

Finlandia é a composição mais famosa de Jean Sibelius. Leia mais e escute aqui.

ler artigo
Na luta pela defesa da autonomia, a simbologia do “Leão da Finlândia”, imagens de uma jovem anônima personificando a Finlândia e o azul e o branco eram importantes instrumentos de propaganda. A pintura da jovem defendendo o livro das leis finlandesas, do artista Edvard Isto, ficou conhecida por todo o país, apesar dos esforços oficiais para proibir a sua divulgação. A águia com duas cabeças, emblema da casa imperial russa, simbolizava excelentemente as forças das trevas.

Na luta pela defesa da autonomia, a simbologia do “Leão da Finlândia”, imagens de uma jovem anônima personificando a Finlândia e o azul e o branco eram importantes instrumentos de propaganda. A pintura da jovem defendendo o livro das leis finlandesas, do artista Edvard Isto, ficou conhecida por todo o país, apesar dos esforços oficiais para proibir a sua divulgação. A águia com duas cabeças, emblema da casa imperial russa, simbolizava excelentemente as forças das trevas.© Museu Nacional da Finlândia

FINLANDIA é, provavelmente, a mais conhecida das composições de Jean Sibelius. Mesmo as pessoas com conhecimentos superficiais da música clássica reconhecem imediatamente a melodia. A penúltima parte, sob a forma de um hino, é particularmente familiar e, tão logo publicado, o “Hino Finlandia” foi cantado com diferentes versos, em regiões tão distantes como os Estados Unidos.

No outono de 1899, Sibelius compôs a música para uma série de quadros vivos representando episódios do passado finlandês. Estes quadros foram apresentados durante a Conferência de Imprensa realizada em Novembro daquele ano. As celebrações foram uma contribuição para os esforços de resistência à influência russa, no então autônomo Grão-ducado da Finlândia. A música culminava com um eletrizante e patriótico final: “Acordai Finlândia”.

O impacto desta música se tornou ainda mais forte ao final do ano, quando quatro das partes, inclusive o “Acordai Finlândia”, foram tocadas novamente em concerto. “Acordai Finlândia” em breve se tornou muito requisitada como peça independente de concerto e Sibelius a revisou no ano seguinte, com o título “Finlandia”, conforme sugerido por um admirador anônimo (Sibelius depois teve um contato mais próximo com este fã, Axel Carpelan, que se tornou seu infatigável apoiador e autonomeado patrocinador).

“Finlandia” se transformou em um símbolo do nacionalismo finlandês. Enquanto o país se manteve como Grão-ducado sob o império russo, a música, quando apresentada em cerimônias imperiais, tinha que ser mascarada sob o título “Impromptu”.

Na Finlândia, não foi cantado como Hino até que versos foram escritos pelo cantor Waïno Sola, em 1937. Após a agressão russa sofrida em 1939, o poeta finlandês V.A. Koskenniemi escreveu um novo texto, usado desde então. Sibelius compôs uma versão para coral misto, em 1948.

Veja e ouça o Hino Finlandia.

Hino Finlandia


Finlandia

Finlandia vejais o dia que nasce
A escuridão foi derrotada
A cotovia canta o amanhecer
O céu deixa surgir o azul
O dia agora vence as forças da noite,
A alvorada surge,
Finlandia nossa!

Subi Finlandia, subi ao mais alto
Coroada por tua forte memória
Subi Finlandia proclamai ao mundo
Que agora és livre
À opressão jamais cedeste
A alvorada surge,
Finlandia nossa!

(Texto de Koskenniemi traduzido para o inglês por Keith Bosley e incluído na linda antologia “Skating On the Sea”, de Bosley –“Poesia da Finlândia” publicada por Bloodaxe Books – (ISBN: 1 85224 388 0) e na Finlândia em cooperação com a Sociedade Finlandesa de Literatura)

© Keith Bosley y Bloodaxe Books

 

Links