A Finlândia e seu inventário intangível: música, circo, gastronomia e outras coisas

A Finlândia criou uma abordagem original, colaborativa e contínua para catalogar seu patrimônio cultural intangível; um inventário que inclui vários dos pontos fortes singulares do país e suas peculiaridades inimitáveis. Algumas delas poderão, inclusive, tornar-se parte das listas de Patrimônio Cultural Intangível da Unesco.

ler artigo

A Finlândia catalogou recentemente  um Inventário Nacional de Patrimônio Vivo. Embora a sauna, o Papai Noel e o tango finlandês pareçam óbvios para todos os que já tiveram algum contato com a Finlândia, outros itens da lista provavelmente são menos conhecidos.

A cultura circense finlandesa e o estilo folclórico de tocar violino de Kaustinen estão entre os itens incluídos no patrimônio (Kaustinen é uma cidade situada a cerca de 450 quilômetros ao norte de Helsinque). O Ministério da Educação e Cultura da Finlândia seleciona itens deste inventário quando envia indicações para a inclusão de elementos nas listagens do Patrimônio Cultural Intangível da Unesco.

O inventário foi catalogado de uma maneira incomum, que gerou uma receptividade muito positiva. O projeto teve início quando a Agência Finlandesa de Patrimônio convidou alguns dos principais protagonistas de vários campos para a realização de painéis de discussão informais, ministrados por especialistas.

“Foi fantástico testemunhar a abordagem inclusiva que este processo adotou”, diz Johanna Mäkelä, diretora de comunicações da CircusInfo Finlândia. A Agência Finlandesa de Patrimônio abriu uma plataforma wiki, na qual qualquer pessoa poderia sugerir itens à lista. A plataforma recebeu mais de 130 envios, em cinco idiomas diferentes, dentre os quais 52 entraram no Inventário Nacional.

“Como a própria cultura intangível, que vive em interação constante com as pessoas, a plataforma permitiu o envolvimento em todos os níveis”, diz Mäkelä. “Isso resultou numa tomada de decisões horizontal, em oposição ao cenário vertical mais comum.”

Tudo incluído de todas as formas

O Artic Ensemble realiza o “Korean Cradle” como parte do Sirkus Finlandia em 2018.Foto: Jukka Nuutinen

Um forte senso de comunidade também é profundo na cultura circense finlandesa. Todos os praticantes, de amadores a profissionais, aprendem a necessidade de confiar e apoiar uns aos outros; isso é parte integrante das atividades circenses.

“A Finlândia tem uma forte cultura circense juvenil, onde a inclusão social desempenha um papel fundamental”, diz Mäkelä. “As aulas são disponibilizadas para pessoas de todas as faixas etárias e ultimamente também são usadas como meio de integração social para grupos específicos de pessoas, como imigrantes, por exemplo.”

Todo o processo de busca para a obter um lugar no inventário fortaleceu a cooperação entre os grupos de circo nacionalmente. “A CircusInfo Finland, a Sirkus Finlandia e o Centro de Promoção de Artes da Finlândia (conhecido por sua abreviação finlandesa, Taike) convidou todos os representantes do campo para participar das palestras”, diz Mäkelä. “O processo aproximou os diferentes profissionais do circo, o que é maravilhoso e benéfico a todos”.

Elementos semelhantes são visíveis na cultura e no estilo folk dos violinos de Kaustinen, em que tocar música é um evento comum que une todo o vilarejo.

É necessário um esforço coletivo para que a lista obtenha o elemento da herança, seja pela cultura circense, por um estilo musical ou por qualquer outro item que atualmente componha o inventário, tudo deve ser incluído, desde a fabricação de rendas até o glassblowing (o ofício de fazer material de vidro soprando ar através de um tubo de vidro semimolgido), desde a conexão finlandesa com a floresta até a expressão nada educada  “mesquinharia do povo de Laihia”.

Outros elementos da lista incluem banhos de sauna; a declaração da paz natalina; o poeta nacional Runeberg; a tradição de visitar cemitérios na véspera de Natal; o jogo no gramado ressurgente conhecido como mölkky; Everyman’s Right, que permite que todos compartilhem a terra; o finlandesismo do Papai Noel; o Tango finlandês; e estocar alimentos silvestres , para citar alguns. Embora a rodada anterior tenha fechado em 2017, a oportunidade será reaberta em data posterior, até 2019.

De casamentos a festivais

No Kaustinen Folk Music Festival, o violinista e educador musical Mauno Järvelä (no meio à esquerda) e outros professores lideram centenas de crianças, em frente a um grande público, no palco principal ao ar livre.Foto: Risto Savolainen / Kaustinen Folk Music Festival

Embora a cultura circense finlandesa seja relativamente nova, o estilo folk dos violinos de Kaustinen vem de longa data.

“A tradição deriva da cultura secular do pelimanni (nome folclórico dado aos músicos do estilo), por isso fornece uma janela única sobre a cultura musical da Finlândia do século XVIII”, diz Matti Hakamäki, diretor do Instituto Finlandês de Música Folclórica, com sede em Kaustinen.

O estilo de folk local conseguiu equilibrar com sucesso a história e a modernidade, e sobreviveu graças a um número de indivíduos dedicados. O Kaustinen Folk Music Festival, evento anual de verão que celebra a cultura musical local e além de outras expressões folclóricas como estilos musicais e danças, existe desde 1968. De acordo com Hakamäki, foi um grande sucesso desde o início e abriga cerca de 5 mil artistas de todo o mundo a cada ano.

“Antes do festival, existia uma forte tradição regional de músicos pelimanni em entreter convidados em casamentos que duravam dias”, diz Hakamäki. “Devido a mudanças na estrutura da sociedade, a tradição começou a diminuir durante os anos 60. Para preservar a cultura, eles tiveram a ideia de construir um festival em torno dela. Hoje, o estilo folclórico de Kaustinen está mais vivo do que nunca ”.

Ele diz que a música da área não é reservada apenas para celebrações. “É também parte fundamental da vida cotidiana das pessoas locais.” Dizem que há um violino em todos os lares de Kaustinen.

Herança cultural ao vivo no palco

Mauno Järvelä dá o sinal positivo antes das crianças Näppärit se apresentarem no festival em Kaustinen, mostrando que uma cultura musical secular continua em um contexto moderno.Foto: Kaustinen Folk Music Festival

O Inventário Nacional de Patrimônio Vivo também inclui kalakukko, uma tradicional torta de peixe da região de Savo; a tradição do canto cigano finlandês; e o distinto design de suéteres de lã que se origina na cidade de Korsnäs, na costa oeste. Muitos exemplos de patrimônio cultural estão associados a uma determinada localidade.

“Como Kaustinen era um lugar remoto no passado, sua cultura musical se desenvolve num ritmo próprio, fermentando lentamente com poucas influências externas”, diz Mauno Järvelä, um violinista e professor de renome que começou a Näppärit, uma filosofia finlandesa de educação musical, baseada na música tradicional. Todos os anos, centenas de crianças participam dos workshops Näppärit e de um concerto no Kaustinen Folk Music Festival, ajudando a garantir o futuro da música.

“O que torna o estilo folclórico dos violinos de Kaustinen único é o ritmo, onde a última parte da batida é enfatizada”, diz Järvelä. “Não há um padrão claro, a música apenas oscila, como um violinista descreveu: “Como o turbilhão das corredeiras, ela apenas carrega você.”

O mesmo vale para muitos dos itens do Inventário Nacional de Patrimônio Vivo.

Por Mari Storpellinen, abril de 2018

Veja também no thisisFINLAND

Links