Facilitando o finlandês: aprenda a língua local

A professora nos dá dicas para aprender finlandês. Entre elas, uma atitude positiva.

É comum que os estrangeiros que se mudam para a Finlândia inicialmente achem o idioma finlandês estranho e atemorizador. Porém, com uma atitude positiva e um professor compreensivo, até os recém-chegados mais travados podem lidar com o finlandês com uma velocidade surpreendente.

Nós admitimos: o finlandês pode ser intimidador à primeira vista. Poucas palavras são familiares para qualquer um cuja própria língua não pertença à obscura família linguística fino-úgrica.

Até os iniciantes mais arrojados podem querer desistir ao perceber como as palavras finlandesas podem mudar radicalmente de forma, dependendo do seu papel em uma sentença. Algumas letras podem ser dobradas, desaparecer ou mudar de forma para letras diferentes por razões aparentemente obscuras para os não iniciados. Uma palavra tão simples como “água” pode ficar irreconhecível quando é transformada da sua forma básica vesi para veden, vettä, veteen, ou dezenas de outras formas.

Laura Hartikainen, a coordenadora de estudos da língua finlandesa no Centro de Educação de Adultos em Espoo, destaca que os estudantes de finlandês podem rapidamente se fazer entender em situações corriqueiras. Ela assinala que mesmo sendo um idioma muito diferente para estudantes imigrantes de todos os países, exceto da vizinha Estônia, o finlandês tem uma lógica própria que não é inerentemente difícil.

“A pronúncia finlandesa, por exemplo, é muito fácil de compreender,” explica. “Cada letra é pronunciada exatamente da mesma maneira em todas as palavras que aparece.”

“Para os estrangeiros que estão aqui, valeu o esforço de aprender a língua, para aprofundar-se cada vez mais na cultura finlandesa e para entender o que está acontecendo ao seu redor,” diz Hartikainen, cujos alunos na turma noturna da escola em Espoo incluem imigrantes de todos os cantos do mundo.

Fale do jeito que se fala

3372-language2_b-jpg

O caso partitivo, de difícil compreensão, pode ser capturado e domado no capítulo que trata só dele, de 15 páginas, no livro “Finlandês: Uma Gramática Essencial”.Foto: Laura Waris

“Para aprender bem a língua, os estudantes devem fazer exercícios, o que às vezes pode parecer maçante, mas também nos divertimos com jogos, trabalhando em dupla e praticando diálogos reais”, diz ela. “Os estudantes não devem ficar apreensivos com a possibilidade de errar, e nós os estimulamos a sair e começar a falar ativamente com as pessoas em finlandês.”

Hartikainen tem algumas dicas úteis para os seus alunos que estão ansiosos por falar do jeito que se fala. Desde o início, ela os estimula a praticar o finlandês através de seus próprios interesses, associando-se a clubes locais, lendo revistas em finlandês e acessando os sites na web relacionados aos seus passatempos favoritos.

“A linguagem clara e simples usada pela Empresa Finlandesa de Difusão no seu programa de radio de transmissão de notícias conhecido como Selkouutiset [notícias em finlandês básico] e nos livros Selkokieli [linguagem clara] disponíveis nas bibliotecas, pode ser muito útil também para estrangeiros que estão aprendendo o finlandês,” acrescenta.

Hartikainen se sente realizada com o seu trabalho toda vez que os seus alunos transpõem um obstáculo. Os seus alunos se divertem especialmente quando aprendem a reconhecer a falsos cognatos engraçados como tohtori (médico) ou pihvi (derivado da palavra “carne” e que significa “bife”).

Eles também ficam satisfeitos quando aprendem a ouvir e pronunciar consoantes duplas e vogais alongadas manhosas. Essa habilidade permite que estrangeiros distingam entre tuuli, tuli, e tulli (vento, fogo e alfândega) – ou saibam enunciar a diferença sutil, porém potencialmente crucial entre as expressões Tapaan sinut! (Te vejo!) e Tapan sinut! (Te mato!).

 

Por Fran Weaver, abril de 2010