Kalevala: a epopeia nacional finlandesa

A epopeia finlandesa, Kalevala, inspira gerações de artistas e contribui para definir a identidade nacional

ler artigo

A primeira edição do Kalevala circulou pela primeira vez em 1835, compilada e editada por Elias Lönnrot, baseada nos poemas épicos folclóricos que ele havia colecionado na Finlândia e na Carélia. Esta tradição de canções poéticas, cantadas em um verso tetrâmetro trocaíco arcaico e incomum, fazia parte da tradição oral dos falantes das línguas proto balto-fínicas há 2.000 anos.

Quando o Kalevala foi publicado pela primeira vez, a Finlândia já era um Grão-ducado autônomo há um quarto de século. Antes disso e até 1809, a Finlândia fizera parte do império sueco.

O Kalevala foi um marco importante na mudança dos rumos da cultura do idioma finlandês e provocou marolas que também foram sentidas no exterior. Provocou, também, a atenção de outros europeus para um pequeno povo desconhecido, aumentando a autoestima e a fé dos finlandeses nas possibilidades de uma língua e de uma cultura finlandesas. O Kalevala passou a ser conhecido como a epopeia nacional finlandesa.

Kullervo parte para a Guerra, por Akseli Gallen-Kallela (1901).

Kullervo parte para a Guerra, por Akseli Gallen-Kallela (1901). © Museu de Arte Ateneum

Lönnrot e os seus colegas não desistiram de seus esforços de colecionar poemas folclóricos e rapidamente acumularam material novo. Lönnrot usou este material novo para publicar uma segunda versão ampliada do Kalevala, em 1849. O Novo Kalevala é a versão lida na Finlândia desde então e na qual a maioria das traduções é baseada.

Por Anneli Asplund e Sirkka-Liisa Mettomäki, outubro de 2000, atualizado 2017

Veja também no thisisFINLAND

Links