Um artigo sobre hóquei no verão finlandês que você não imaginava necessário

Por que falar de hóquei no gelo durante o verão? A resposta tem a ver com a Finlândia, as mudanças climáticas, um grupo chamado Save Pond Hockey, a NHL e outras coisas mais.

ler artigo

Em primeiro lugar, a Finlândia é louca por hóquei. Durante todo o verão, temos certeza de que alguns finlandeses olham para os campos verdes e os lagos azuis imaginando-os cobertos de gelo, cenário perfeito para patinar.

Em segundo, a Liga Nacional de Hóquei da América do Norte (NHL) – a melhor do mundo, onde várias dezenas de jogadores finlandeses ganham a vida – geralmente realiza suas finais da Copa Stanley em junho, mas a edição de 2020 foi adiada quando a temporada regular foi interrompida em março por causa do corona vírus. A liga finalmente anunciou que os playoffs começarão em 1º de agosto e podem se estender até o início de outubro. Portanto, este é realmente o momento perfeito para um artigo sobre hóquei.

Terceiro ponto, mas não menos importante, alguns finlandeses e um canadense – nenhuma história de hóquei estaria completa sem pelo menos um canadense – obtiveram grande sucesso ao realizar torneios chamados Save Pond Hockey que combinam hóquei ao ar livre com ativismo ambiental. Eles expandiram o evento de Helsinque para outras cidades finlandesas e, nas próximas temporadas, planejam realizá-lo também na Suécia e no Canadá.

Direto na lagoa

Uma mulher jogadora de hóquei no gelo dribla o disco em uma pista de gelo ao ar livre, enquanto os tacos de vários oponentes são visíveis nos cantos da imagem.

Emily, uma americana de Minnesota, voou para a Finlândia para ficar com seu noivo. No dia seguinte ao seu desembarque, ela estava no gelo em um torneio de Save Pond Hockey em Tampere, jogando como se o jetlag não existisse.
Foto: Peter Marten

Save Pond Hockey é exatamente o que o nome diz. “Hóquei na lagoa” refere-se a qualquer pista ao ar livre onde os amigos se encontram para jogar informalmente. O torneio aumenta a conscientização e gera fundos entre os membros da comunidade de hóquei, ou família do hóquei, como costumam chamar, para ajudar a combater as mudanças climáticas.

Porque sem o inverno adequado, não haverá pistas de gelo ao ar livre.

Talvez mais do que em qualquer outro lugar, pistas de patinação em parques e quintais e lagos congelados capturam o espírito do hóquei. As crianças podem sair por aí e aproveitar o tempo congelante que quiserem, e sonham em jogar nas principais ligas. Os pais podem trazer suas famílias e ensinar as crianças a patinar.

Tampere, uma cidade cuja localização pode ser descrita como a parte centro-oeste do sul da Finlândia central, é a única cidade com duas equipes na principal liga de hóquei do país, a SM Liiga. É também a sede do Museu Finlandês de Hóquei no Gelo, o maior museu de hóquei da Europa. A reputação de Tampere como uma cidade louca por hóquei em um país louco por hóquei torna o lugar perfeito para assistir a um torneio de Save Pond Hockey.

Mude a sua vida

Um jogo de hóquei no gelo ocorre em uma pista de gelo ao ar livre em frente a uma encosta onde há árvores e edifícios.

O torneio Save Pond Hockey 2020 em Tampere ocorreu em um parque em Koulukatu (Rua da Escola), um local onde as pessoas jogam hóquei no gelo desde antes da Segunda Guerra Mundial.
Foto: Peter Marten

Em 7 de março de 2020,  dia do evento em Tampere, o tempo ainda estava frio e as pessoas na Finlândia ainda não podiam imaginar que ficariam, em breve,  longe de seus locais de trabalho, escolas, restaurantes e das outras pessoas. Duas semanas depois, o torneio Save Pond Hockey, programado para a cidade de Oulu, no norte, teve que ser cancelado por causa de medidas destinadas a retardar a propagação do corona vírus.

Em Tampere, conheci Steve Baynes – o canadense dessa história – que chegou em 2010 à cidade finlandesa de Jyväskylä. Ele estudou sustentabilidade corporativa lá e depois se mudou para Helsinque.

“Tivemos a ideia do Save Pond Hockey porque, é claro, estávamos lendo e aprendendo muito sobre mudanças climáticas”, diz Baynes, que cresceu em Vancouver. “Muitos finlandeses em nosso clube de hóquei também viam mudanças em sua vida, desde quando eram crianças até agora. O conjunto destas coisas nos fizeram sentir que precisávamos fazer algo – realmente não sabíamos o que.”

A Save Pond Hockey viu pela primeira vez a luz do dia de inverno finlandês em 2015. “Somos um monte de caras do hóquei”, diz Baynes, “então começamos a organizar torneios de hóquei”.

Apetite pelo hóquei

O presidente finlandês Sauli Niinistö, de capacete e camisa com o nome Save Pond Hockey, patina com um taco de hóquei em uma pista de gelo ao ar livre, enquanto outros jogadores estão visíveis ao fundo.

O presidente finlandês Sauli Niinistö é um entusiasta do hóquei e participou do Save Pond Hockey em Helsinque por vários anos seguidos (foto de fevereiro de 2020). Foto: Mikko Stig / Lehtikuva

Foi assim que acabamos ao lado de duas pistas ao ar livre em Tampere, assistindo a um torneio de um dia com 12 equipes competindo em uma série de jogos de 18 minutos, quatro contra quatro. Cada área de jogo ocupava um terço de uma pista. Os gols eram pequenos e baixos, e não havia goleiros.

Observando a programação, você via nomes de equipes como o Pajusalmi Maple Leafs (inspirado no Toronto Maple Leafs da NHL), Lakikiekko (O taco é a lei) e Lihaa ja perunaa (Carne e batatas, inspiradas no prato favorito de alguém). Um dos grupos se chamava Hattrick Swayze.

A pista de Koulukatu, local do evento, também é o local onde a primeira pista de gelo artificial da Finlândia foi aberta em 1956, embora houvesse pistas de gelo naturalmente congeladas no local desde 1934.

Helsinque experimentou um inverno chuvoso e relativamente quente em 2019-20, com a temperatura média todos os meses ficando acima de zero graus Celsius. Durante um inverno tão ameno, as pistas de resfriamento artificial são o único gelo disponível ao ar livre. Existem apenas algumas, então o contraste é forte em comparação com um inverno verdadeiramente frio, durante o qual as cidades mantêm pistas em numerosos parques por meses a fio. As arenas internas não oferecem o mesmo tipo de local de encontro informal e espírito de vizinhança.

Chamando atenção

Um cão pequeno segura uma luva de hóquei no gelo na boca, enquanto um jogador de hóquei estende a mão para o cão ao lado de uma pista de gelo ao ar livre.

O cão Kerttu apareceu latindo em apoio aos jogadores de Tampere e para ajudar a manter o controle de suas luvas.
Foto: Peter Marten

O Save Pond Hockey se expandiu gradualmente desde o início em 2015, em Helsinque, adicionando mais cidades. Em 2020, a lista incluía as cidades finlandesas de Joensuu e Lappeenranta, no leste, e Turku, no sudoeste, e Tampere e Oulu.

“No próximo ano, queremos expandir para fora das fronteiras da Finlândia”, diz Baynes. “Este [inverno mais quente causado pelas mudanças climáticas] é obviamente algo que ameaça jogadores de hóquei em todo o mundo”.

Isso foi no início de março de 2020. Enquanto isso, o corona vírus afetou a vida das pessoas em todo o mundo, e a situação está mudando continuamente. Em junho, o governo finlandês elevou a quantidade de pessoas permitidas em uma reunião pública para 500. Baynes confirma que, a partir do verão de 2020, eles ainda planejam ir a Estocolmo na próxima temporada e esperam chegar ao Canadá também.

A própria marca de ativismo climático da Save Hockey Pond chamou a atenção. O presidente finlandês Sauli Niinistö colocou seus patins para o torneio de Helsinque mais de uma vez, incluindo 2020, e grandes nomes do hóquei local também apareceram. O ex-astro da NHL Saku Koivu jogou na edição Turku do Save Pond Hockey em fevereiro de 2020.

“’É exatamente isso, reunir toda a comunidade de hóquei”, diz Baynes. “Conseguimos alcançar algumas dessas lendas como o Koivu e, felizmente, obtemos o apoio deles por trás do que estamos tentando fazer”.

Para onde vai o dinheiro

O que o Save Pond Hockey faz com as taxas de registro das equipes e o dinheiro de patrocínio que ela gera? Aqui estão alguns exemplos:

O evento de Tampere trouxe 1.500 euros, que a Save Pond Hockey doou ao Reconstruction Club. O objetivo é ajudar a população local a tomar medidas positivas em relação às mudanças climáticas. O total de 1.750 euros de Turku foi para uma organização chamada Power Shift, que realiza “um workshop anual de fim de semana para dar ferramentas para os ativistas climáticos serem mais eficazes”, diz Baynes.

Em Joensuu, foram contribuídos 3 mil euros para cofinanciar a restauração ecológica de um pântano local que havia sido usado como área de produção de turfa. Após o torneio de Lappeenranta, o Save Pond Hockey dividiu 2.600 euros entre a Associação Finlandesa de Conservação da Natureza e a Organização de Educação Ambiental e Científica de Saimaa.

Os 10 mil euros do evento de Helsinque foram para a CO2Esto, uma empresa que compra licenças de emissão do Sistema de Comércio de Emissões da UE, removendo-as do mercado. “Não é exatamente uma compensação de carbono”, diz Baynes. “É prevenção de carbono. Por isso, evitamos 250 toneladas de CO2 equivalente aos lucros do torneio de Helsinque.” Outros 4.200 euros de um leilão de camisas no evento impediram 113 toneladas adicionais.

Por Peter Marten, julho de 2020

Veja também no thisisFINLAND