Saiba tudo sobre os bonés de formatura finlandeses

O boné que os estudantes recebem em sua formatura do ensino médio finlandês é mais do que apenas um chapéu branco com uma viseira preta estreita, e seu uso não se limita às cerimônias de formatura. As sutilezas e peculiaridades deste acessório particular merecem uma explicação.

ler artigo

A formatura do ensino médio ocorre ao fim do ano letivo (final de maio ou início de junho). No entanto, um mês antes, em 30 de abril e 1º de maio, é impossível não notar foliões de todas as idades usando seus bonés brancos, festejando de tal forma que apenas a véspera de Ano Novo pode ser considerada uma concorrente.

De certa forma, é paradoxal que os finlandeses usem uma espécie de uniforme na única época do ano em que é socialmente aceitável que eles percam suas inibições. O feriado do Dia do Trabalho, conhecido como Vappu em finlandês, e a noite que o antecede são a coisa mais próxima de um carnaval descontrolado e sem regras.

O clima nem sempre é apropriado para um festival de primavera, mas será que as pessoas usam plumas e vestem trajes malucos para combinar com seu humor festivo e desregrado? Não, eles usam os tradicionais chapéus brancos de estudante.

O mar de bonés brancos por todos os lados pode intrigar um pouco quem vê pela primeira vez; pode até soar confuso quando passamos a conhecer a explicação: o boné simboliza os estudantes do ensino médio. O fato de tantas pessoas terem o seu é perfeitamente lógico, tendo em vista a reputação mundial da educação na Finlândia, é claro.

E ai de quem veste o boné sem a devida qualificação! Conheço pelo menos uma pessoa não-graduada que atraiu uma séria desaprovação quando, brincando, usou o boné de sua esposa nas redes sociais. OK, confesso: fui eu.

Vários símbolos florescem

Photo: Jenni Toivonen/Visit Tampere

As pessoas guardam seus bonés de formatura do ensino médio e os usam em certas ocasiões especiais, como as festividades do Dia do Trabalho ou as cerimônias universitárias (neste caso, uma celebração de formatura na Universidade de Tampere).Foto: Jenni Toivonen/Visit Tampere

Hoje em dia, o boné raramente sai de sua caixa em outra época do ano que não o Vappu e a ocasional cerimônia acadêmica de formatura. No entanto, já houve o tempo em que as pessoas usavam seus bonés todos os dias durante o verão até o final de setembro. Eles eram um acessório opcional até a década de 1950. Raramente as pessoas sem preocupam em lavar seus chapéus, o que explica a tonalidade amarela característica dos mais antigos.

O boné de formatura geralmente ostenta o emblema da Universidade de Helsinque, que é a lira de Apolo, símbolo do deus patrono grego da música, dança e poesia. Originalmente, e até a independência finlandesa em 1917, as provas para se entrar para a faculdade eram equivalentes ao exame nacional de matrícula.

Atualmente, os donos dos bonés afixam a insígnia de sua própria universidade. O tamanho deste emblema adquiriu um teor político sutil no século XIX, e este persiste até hoje, já que seu tamanho indica se o proprietário é um falante de finlandês (14 milímetros) ou sueco (22 milímetros); ambas línguas oficiais na Finlândia.

Para complicar ainda mais as coisas, os estudantes das universidades técnicas têm uma variante com uma longa borla preta e um emblema específico para cada universidade. Exceto para os estudantes da Universidade de Oulu, que insistem em complicar ainda mais as coisas usando emblemas que indicam seus programas de estudo. Os forros internos do chapéu também variam de cor dependendo da região de origem da pessoa, bem como do perfil de língua finlandesa ou sueca do aluno.

E você pensou que um chapéu branco era apenas um chapéu branco?

Liberdade e um futuro brilhante

Photo: Jussi Hellsten/Helsinki Marketing

Com auxílio de um guindaste, estudantes colocam um boné de formatura na cabeça da estátua Havis Amanda, em Helsinque, todo dia 30 de abril, em meio a um mar de milhares de chapéus similares.Foto: Jussi Hellsten Toivonen/Helsinki Marketing

Todos os países nórdicos têm tradições de chapéu estudantil semelhantes. Como um emblema do status educacional, o acessório finlandês tem fama de ter raízes específicas no período do domínio russo, em meados do século XIX. O czar Nicolau I estipulou que todos os estudantes universitários deveriam usar um uniforme, mas quando o czar morreu, com ele se foi o costume e uso do chapéu diariamente, que naqueles dias era azul. As mulheres não foram convidadas a participar deste clube de chapelaria até 1897, quando foram admitidas no sindicato dos estudantes.

Talvez para compensar esse atraso na igualdade de gêneros, uma das mulheres mais conhecidas de Helsinque é agora a primeira a ser ungida com esse item singular a cada Vappu. Um grupo de estudantes lava simbolicamente a estátua de Havis Amanda perto da Praça do Mercado – ritual da limpeza de primavera – antes de colocar um boné de formatura sobre sua cabeça.

A homenagem anual, realizada desde 1921, é organizada a cada ano por uma associação estudantil diferente de Helsinque. Milhares de pessoas aparecem para assistir à cerimônia e aplaudir.

So what does the white hat signify to the locals? “To me, it means possibilities, freedom, a bright future and an achievement,” says 35-year-old Eveliina Lehtonen, reminiscing about her own matriculation but also pondering the lasting significance of this happiest of hats. “And at Vappu, it still always means spring has come and it’s time to party.”

Então, o que o chapéu branco significa para os locais? “Para mim, significa possibilidades, liberdade, um futuro brilhante e uma conquista”, diz Eveliina Lehtonen, de 35 anos, relembrando sua própria graduação, mas também ponderando sobre o significado mais feliz deste boné. “E no Vappu, isso sempre significa que a primavera chegou e é hora de festejar.”

Por Tim Bird, maio de 2019