Inovação nas bibliotecas finlandesas

Originalmente criadas para fornecer conhecimento aos cidadãos, as bibliotecas agora funcionam como salas de estar públicas com equipamentos multimídia e também oferecem atividades ao ar livre.

ler artigo

Você gostaria de digitalizar seus LPs e fitas cassete ou pegar uma máquina de costura ou obra de arte emprestada? Esses e outros serviços inéditos estão à disposição dos frequentadores de bibliotecas na Finlândia. Originalmente criadas para fornecer conhecimento aos cidadãos, as bibliotecas agora funcionam como salas de estar públicas com equipamentos multimídia e também oferecem atividades ao ar livre.

“Os cidadãos devem ser civilizados”, essa é a visão que norteou as bibliotecas finlandesas do século XIX em diante. Pode-se dizer que o objetivo foi alcançado, pois hoje os finlandeses formam uma das nações mais letradas do mundo. As bibliotecas são municipais, gratuitas, e são direito do cidadão.

Segundo estatísticas de 2001, cada cidadão finlandês visita a biblioteca pelo menos dez vezes ao ano e faz o empréstimo de aproximadamente dezoito volumes. O que os números não mostram é como as bibliotecas acompanham o ritmo de uma sociedade dinâmica.

Biblioteca ao ar livre

4074-kirjastot2_550px-jpg

Em Turku: apresentação artística de Leena Kela ao ar livre, enquanto cidadãos fazem empréstimo de livros na biblioteca móvel ao fundo.Foto: Dunja Myllylä

Verão é sinônimo de atividades ao ar livre. Na cidade de Turku, ao sudoeste, a biblioteca da cidade fica ao ar livre, e também pode ir até você. Seu pátio de paralelepípedo é palco de diversos eventos durante todo o verão.

Uma biblioteca móvel viaja pela cidade com livros, apresentações artísticas e dicas para atividades ao ar livre. “A nossa intenção é oferecer experiência aliada ao conhecimento”, declara Päivi Autere, publicitário da Biblioteca da Cidade de Turku, a mais antiga do país.

A reforma do interior da biblioteca foi concluída em 2008, e novos serviços vêm sendo oferecidos com o passar dos anos, como por exemplo, a disponibilização de um vasto acervo de jornais digitais. “O empréstimo de livros também aumentou com o passar dos anos”, diz Autere. “Os serviços novos e antigos se complementam.”

Matando a sede pelo conhecimento

A Biblioteca da Cidade de Helsinque não ficou para trás. Em 2001, foi iniciado um serviço inspirado na função tradicional do bibliotecário como buscador de informações. O serviço virtual de consulta “Information Gas Station” se dispõe a responder qualquer pergunta que os visitantes possam ter, com respostas fornecidas por bibliotecários. O prazo para a resposta em finlandês, sueco ou inglês é de duas semanas.

O serviço já respondeu milhares de perguntas. Mesmo que a Internet e as outras tecnologias tenham tornado a informação mais acessível do que nunca, o arquivo da “Information Gas Station” revela que ainda é importante ter um especialista que encontre a resposta ideal em meio a tanta informação.

Terapia de leitura canina

Outro tipo de especialista realiza sessões semanais em Espoo, a oeste da capital finlandesa. A Biblioteca de Sello contratou um terapeuta bastante inusitado para crianças com dificuldade de leitura. p>

Börje, um cão que auxilia pessoas com dificuldade de leitura, balança seu rabo com devoção e parece bastante solícito. O assistente peludo está sempre disposto a ajudar as crianças com as suas histórias favoritas. Ele também é muito famoso entre os frequentadores adultos, e administra um blogue com exercícios de leitura divertidíssimos

Helsinque sonha com uma nova biblioteca central

4074-bkirjastot3_550px-jpg

A árvore dos sonhos: reunidas em um seminário realizado no Pavilhão de Helsinque, essas folhas contêm ideias para a futura biblioteca central da cidade.Foto: Helsinque, a Capital Mundial do Design de 2012

O projeto da nova biblioteca central de Helsinque recebeu o título de “Sonho!”. A opinião dos frequentadores de bibliotecas é essencial para o projeto, e eles se reúnem tanto virtualmente quanto em seminários.

Katja, 25 anos, fecha seus olhos. “É como sentir a paz de uma floresta.” Ela imagina uma área ampla com um clima aconchegante e móveis confortáveis. Segundo outros colaboradores, a biblioteca do futuro deve oferecer “dias do abraço” “passaportes da felicidade” e “empréstimo de canoas”.

O sonho se tornará realidade em 2017, quando a Finlândia celebra o seu centésimo Dia da Independência. Parece que o futuro das bibliotecas nos reserva diversidade, atividades e cores sem fim.

Por Outi Puukko, agosto de 2012

Links