Finlândia lança prêmio internacional pela igualdade de gêneros

Em 8 de março, Dia Internacional da Mulher, a Finlândia anuncia seu novo Prêmio Internacional pela Igualdade de Gêneros, destacando o papel do país como líder nessas questões.

ler artigo

A Finlândia orgulha-se de sua posição de liderança em questões relacionadas à igualdade de gêneros e do fato de ser um país onde há participação de mulheres e homens em todos os níveis da sociedade. O sistema de educação gratuito do país, que abrange desde o ensino fundamental até os programas de pós-doutorado, oferece aos finlandeses oportunidades educacionais raramente vistas em outros lugares.

Estudos mostram que os países onde as mulheres têm um papel forte na sociedade são os mais sustentáveis financeiramente, socialmente e ecologicamente. Soluções para os problemas do mundo não serão encontradas sem que haja igualdade e inclusão de todos os gêneros no âmbito da tomada de decisões.

Os finlandeses notaram isso cedo; em 1906 a Finlândia tornou-se o primeiro país do mundo a aprovar lei que permitia às mulheres votar e candidatar-se a eleições. O trabalho em direção à igualdade continuou em todos os níveis da sociedade desde então.

Em 2017 todos os alunos da nona série na Finlândia receberam uma cópia gratuita do livro de Chimamanda Ngozi Adichie, “We Should All Be Feminists”(tradução livre para o português: Todos Deveríamos ser Feministas), em fase de tradução. O Ministério da Cultura e Educação apoiou a distribuição do livro.

Igualdade de Gêneros na Agenda

Quando meninas e meninos veem mulheres como modelos em profissões que costumavam ser dominadas por homens, a igualdade de gêneros torna-se parte da forma como eles percebem o mundo.Foto: Olli-Pekka Latvala/Nokian Tyres/Tampere All Bright

O que está por vir na Finlândia? O Gabinete do Primeiro-Ministro lançará um Prêmio Internacional pela Igualdade de Gêneros que consolidará o papel do país como líder nessas questões. O prêmio será uma homenagem a trabalhos realizados na área da igualdade de gêneros e será dado a indivíduos que têm contribuído para o seu avançado.

O principal objetivo do Prêmio Internacional pela Igualdade de Gêneros é criar uma plataforma para a promoção dessa questão em todo o mundo. Para atingir esse objetivo o prêmio será dado a “um(a) ilustre defensor(a) e construtor(a) de igualdade”, segundo os organizadores.

O vencedor não receberá o prêmio em dinheiro, mas identificará uma causa ou ação benéfica ao avanço da igualdade de gêneros para, assim, o dinheiro ser doado a ela. Os organizadores esperam que a escolha do vencedor e as ações desta pessoa sirvam como exemplo para mostrar como os investimentos em igualdade sustentam toda a sociedade.

O Prêmio Internacional pela Igualdade de Gêneros é notável, em parte, devido à sua noção incorporada de solidariedade: o comitê de seleção se compromete em criar e sustentar plataformas para abordar questões referentes à igualdade de gêneros sob diferentes perspectivas ao redor do globo. O dia do lançamento formal do prêmio é 8 de março de 2017. O anúncio do vencedor inaugural e a cerimônia de premiação acontecerão em uma data posterior.

O comitê de seleção aceitará sugestões do público geral. Quem você acha que deveria ser o primeiro vencedor? Envie sua sugestão entre os dias 19 de março e 31 de maio de 2017 para o endereço genderequalityprize.fi.

Cem anos de progresso

Vídeo (em inglês): Yle

“A Finlândia está comemorando 100 anos de independência este ano, o que torna 2017 bastante especial para nós”, diz Paula Lehtomäki, Secretária de Estado do Gabinete do Primeiro Ministro.

“A Finlândia vem sendo líder em questões relacionadas  à igualdade de gêneros nos últimos 100 anos e este é o primeiro prêmio de alto nível desse tipo no mundo”.

O Gabinete do Primeiro-Ministro criou um comitê de seleção para escolher os candidatos ao prêmio. A chefe da comissão é Paulina Ahokas, que trabalha como CEO do centro de conferênrias e concertos de Tampere, chamado Tampere Hall, e também é responsável pelo Festival Mulheres do Mundo (WOW) na Finlândia, realizado em Tampere em meados de março de 2017.

Por Maryan Abdulkarim, março 2017

Veja também no thisisFINLAND

Links