Escolas finlandesas educam sobre mudança climática

Ensinar sobre o meio ambiente e as mudanças climáticas é uma parte importante do currículo nas escolas finlandesas. Destacamos uma escola que também toma medidas utilizando energia renovável.

ler artigo

Crianças em idade escolar por toda a Finlândia entraram em greve várias vezes no início de 2019. Inspiradas pela ativista adolescente sueca Greta Thunberg, encontraram-se em dezenas de cidades e vilarejos para exigir atitude contra a mudança climática.

“Nossos alunos da sétima queriam ir também e até fizeram cartazes”, diz Lauri Aho, professora de geografia da Escola Sakarinmäki, a leste de Helsinque. “Acho bom o fato de que eles queiram estar lá. Eles já sabem muito, mas não tenho certeza se eles entendam todos os problemas ainda. ”

O que pode ser feito

Trabalhadores instalaram painéis solares na escola Sakarimäki, a leste de Helsinque, há vários anos.Foto: Helen Ltd

Parte do trabalho de Aho é garantir que os alunos entendam os efeitos da mudança climática, como e por que isso está acontecendo e o que pode ser feito a respeito. Parte dessa educação é o trabalho escolar tradicional usando livros didáticos exclusivos, mas as crianças finlandesas também recebem mais treinamento prático.

“Todo mundo recicla aqui”, diz Aho, apontando para caixas em sua sala de aula. “Nossos alunos da nona série fizeram uma viagem de campo a uma usina de energia para entender como ela é criada. Também fizemos uma conferência, com diferentes equipes representando diferentes nações. Os alunos pesquisaram as políticas ambientais dos países que representavam e depois debateram para obter um tratado internacional como o Acordo de Paris.”

Mudança climática em cada matéria

“Precisamos que o mundo mude – respire se você concorda”, escrito em um cartaz durante uma manifestação pela ação climática em Helsinque. Outro cartaz diz: “Aprenda a mudar ou aprenda a nadar”.Foto: Peter Marten

Ensinar sobre a mudança climática é importante no sistema educacional finlandês, e um novo programa de estudos climáticos está sendo desenvolvido com a ideia de que as mudanças climáticas devem fazer parte de todas as matérias. Algumas ONGs desenvolveram material sobre mudança climática e economia circular, que pode ser usado conforme a preferência dos professores.

Isso acontece em todas as escolas finlandesas, mas os alunos da Escola Sakarinmäki têm uma vantagem: seu prédio tem suprimento de energia renovável próprio, que eles podem estudar.

“Cerca de 80% do nosso consumo de energia é proveniente de fontes renováveis”, diz o vice-diretor Antti Kervinen. “Temos painéis solares e aquecimento geotérmico. Também usamos óleo biológico, mas isso só é necessário nos invernos. Ontem fez sol e 100% de nossa energia veio da energia solar ”.

Vendo energia na vida real

A energia renovável é uma realidade para os estudantes da escola Sakarimäki – eles podem ver o equipamento ao lado do terreno da escola.Foto: Helen Ltd

Os alunos e funcionários podem ver sua produção de energia em tempo real em telas nos corredores. Os dados são mostrados na forma típica de quilowatts, mas também como o número equivalente de banhos quentes, para que seja mais compreensível. Esta informação é incorporada no currículo da escola.

“Os alunos aprendem como calcular porcentagens usando as estatísticas de energia de nossa escola, como qual porcentagem de nossa energia veio de diferentes fontes”, diz o professor de matemática Heikki Hölttä. “Os dados também são usados em física e química”.

Responsabilidade pessoal

“Nós temos o poder – o planeta precisa de atitude,” diz o banner.Foto: Peter Marten

Os estudantes estão interessados nas mudanças climáticas e no que eles podem fazer a respeito. Uma pesquisa recente descobriu que as crianças e adolescentes finlandeses atribuem cada vez mais a mudança climática como uma grande preocupação.

“Eu teria ido aos protestos se soubesse disso, mas estava fazendo um teste de matemática”, diz Olivia, aluna do nono ano. “Greta Thunberg é corajosa e é importante compartilhar essas informações.”

Olivia elogia a educação ambiental que recebeu em Sakarinmäki e diz que a escola é sua principal fonte de informação sobre a mudança climática.

“Eu provavelmente aprendi mais online”, contrapõe Laura, também da nona série. “Eu assisto muitos documentários sobre o meio ambiente.”

Os professores incentivam esse aprendizado independente e, de fato, alguns projetos exigem isso. Aho explica que eles também dedicam tempo para ensinar sobre diferentes fontes e como determinar sua confiabilidade, porque há muitas notícias falsas online.

“Alguns alunos são muito ativos sobre a mudança climática, mas outros são mais passivos”, diz Iisa, aluna do nono ano. “Eu faço o que posso, como reciclar, sempre apago as luzes quando não preciso delas e como mais comida vegetariana na escola e em casa, mas sou apenas uma pessoa. Nós olhamos para os grandes países e nos perguntamos por que eles não estão fazendo mais. ”

Por David J. Cord, agosto de 2019

Links