A arte da vida campestre finlandesa

Na Finlândia, retirar para casa de veraneio ajuda a manter o bem estar harmonizando à natureza, descansando e relaxando.

ler artigo

Retirar-se para a zona rural é mais do que apenas passar um feriado merecido, é manter a vida profissional em equilíbrio, entrar em harmonia com a natureza, repousar e recuperar as energias. Isso se chama Zen Nórdico.

“Os finlandeses vão às casas de campo para relaxar, fazer sessões de sauna, nadar e passar momentos agradáveis com seus parentes e amigos”, diz Lana Lavonen, uma instrutora de ioga e consultora de Ayurveda de origem Russo-Finlandesa criada na cidade de Petrozavodsk, na Rússia, que posteriormente se mudou para a Finlândia 28 anos atrás, quando tinha 18 anos de idade.

“Alguns vão pescar enquanto outros saem com os amigos para beber e passar bons momentos, mas a maioria dos finlandeses querem escapar um pouco da vida ocupada da cidade para buscar relaxamento”, diz ela.

Lavonen é apenas um dos muitos finlandeses que passa seu verão campestre, o que é chamado de “mökkielämä,” ou vida campestre. Sua casa de campo fica em Hämeenkoski, a cerca de 100 quilômetros de Helsinque.

País de mil chalés

4065-rachel-soininen_550px-jpg

Retirar-se para a zona rural significa manter o equilíbrio da vida profissional, harmonização com a natureza, descanso e restauração. Isso se chama Zen Nórdico.Foto: Rachel Soininen

De acordo com a Statistics Finland, existiam em torno de meio milhão de casas de verão oficiais no país até dezembro de 2017. A estatística oficial se refere aos chalés tradicionais, básicos com tamanho médio de cerca de 40 metros quadrados. Como as casas de lazer de maior porte não se enquadram, o número real de casas de campo na Finlândia é provavelmente muito superior a 507.000 – o dobro ou triplo desses números, no mínimo.

Estatisticamente falando, a cidade de Kuopio, situada na Finlândia Oriental lidera com folga com a maioria das casas de verão em 10.789. Ela é seguida por Mikkeli, Parainen, Lohja, Savonlinna e Hämeenlinna (perto do retiro de Lavonen em Hämeenkoski) com 8.043 casas de campo.

Para Lavonen, se recolher para a zona rural significa deixar para trás as preocupações da cidade, incluindo o trabalho.

“Eu curto a natureza, caminhadas na floresta, tranquilidade, quietude e solidão”, diz ela. “Minha vida no campo não é tão ocupada e agitada como na cidade, e eu até durmo melhor.”

Além de ser nutrida pela natureza, Lavonen recarrega as energias. “A vida campestre me fortalece e energiza minha vida”, afirma ela.

SPA da natureza

4065-carolina_maia_550px_2-jpg

Um antigo provérbio finlandês afirma que a sauna – o templo finlandês do calor, vapor e relaxamento – é a farmácia do homem simples, uma cura natural para tudo o que aflige o homem, mulher ou criança.Foto: Carolina Maia

Um antigo provérbio finlandês diz que a sauna – o templo finlandês do calor, vapor e relaxamento – é a farmácia do homem simples “sauna on köyhän apteekki”, uma cura natural para tudo o que aflige o homem, mulher ou criança.

O quintessencial experiência do verão campestre finlandês conta com uma sauna à beira do lago. “Eu pratico sauna duas vezes ao dia, pela manhã e no final da tarde”, explica Lavonen. “Eu aqueço o corpo, e quando você sua, seu corpo se livra das toxinas. Em seguida, eu vou nadar em um lago gelado e então entro de novo em uma sauna quente. É muito refrescante, divertido e me sinto muito bem.”

Apesar de que nem todas as casas de campo tradicionais da Finlândia possuam comodidades ou climatização, o chalé de Lavonen dispõe tanto de eletricidade como água corrente porque ela vai lá durante os meses mais frios do inverno.

Lavonen acrescenta um requinte extra à tradicional experiência campestre praticando ioga em sua casa de Hämeenkoski. “A natureza me ajuda a relaxar e harmonizar comigo mesma. Em combinação com a ioga, ela proporciona mais paz e alegria que vêm de dentro”, diz ela. “Eu deixo a casa de campo com um sentimento de satisfação e relaxada, cheia de energia e pronta para encarar a vida atribulada da cidade e suportar seus estresses.”

Por Katja Pantzar, Julho de 2013, atualizado em julho de 2018.

Veja também no thisisFINLAND