O êxito do ecossistema de startups finlandês

Ecossistema de startups finlandês atrai as mentes mais brilhantes e empresas mais inovadoras do mundo para a Slush.

ler artigo

Há poucos anos, o ecossistema de startups finlandês era relativamente pequeno e voltado para o mercado interno, porém hoje atrai as mentes mais brilhantes do mercado de alta tecnologia e as empresas mais inovadoras do mundo. A Slush Helsinque acontece nos dias 18 e 19 de novembro de 2014.

Jerome Chang está a caminho da Finlândia. Ele é o CEO da iCubis, pequena empresa de alta tecnologia sediada em Anyang, Coreia do Sul. A cada outono, a Finlândia se torna o destino principal de milhares de empresas do segmento. O que tanto as atrai? A Slush Helsinque, uma das feiras de tecnologia e de startups mais influentes do mundo.

3162-ene_stillcut_4-jpg

Em um aplicativo de smartfone da iCubis, crianças aprendem inglês com uma raposa e uma elefanta.Captura de tela: iCubis

Este grande evento reúne empresários, investidores e executivos de empresas de alta tecnologia para dois dias de negociações e entretenimento. Os participantes esperam encontrar financiamento para suas empresas, parceiros para projetos ou simplesmente novos contatos na indústria. Em 2013, 7000 pessoas de 68 países participaram da Slush, e o total projetado para 2014 é de 10.000 pessoas.

Para Chang, a Slush é a solução ideal. A iCubis já criou um aplicativo para smartfone que auxilia crianças no aprendizado de inglês à medida que acompanham a raposa Easy e a elefanta Elly em diversas aventuras. Além disso, Chang tem mais planos para o futuro e espera encontrar parceiros na Slush.

“Nós fornecemos conteúdo repleto de significado”, explica. “Quando alcançarmos um bom público com o nosso aplicativo educacional, planejamos partir para a produção de animações.”

O evento de tecnologia mais legal do mundo

“Na verdade, a Finlândia e o Japão estão próximos de muitas maneiras,” alega Boris Milkowski da Goodpatch.

“Na verdade, a Finlândia e o Japão estão próximos de muitas maneiras,” alega Boris Milkowski da Goodpatch.Foto: Goodpatch

Boris Milkowski trabalha para a empresa de software Goodpatch, sediada em Tóquio. Líder no desenvolvimento de negócios e expansão no mercado exterior, Milkowski participou da Slush em 2013. Ele gostou tanto que incluiu a feira no seu calendário para 2014.

“Tenho muito orgulho desse evento tão legal criado em Helsinque”, comemora. “A Slush é diferente de qualquer outro evento. A atmosfera era bastante casual sem perder o profissionalismo e o foco nos negócios. Os organizadores pensaram em tudo para criar este que é o evento de tecnologia mais incrível da atualidade: festas, serviços de bufê, sauna e tudo o que você puder imaginar.

A Goodpatch auxilia na criação de interfaces do usuário e painéis de controle para aplicativos. A empresa também atende empreendedores de outras maneiras. Um exemplo disso é a Prott, ágil ferramenta de protótipos para aplicativos móveis.

“O Japão tem um mercado imenso, mas que não está crescendo”, prossegue Milkowski. “Tantas startups fracassam no Japão porque se consideram muito pequenas. Elas precisam se reerguer no cenário global. Muitos estão interessados no Vale do Silício, porém a Europa é a melhor opção em termos culturais. Na verdade, a Finlândia e o Japão estão próximos de muitas maneiras, desde a cultura até o modo pelo qual valorizamos a confiança.”

A Goodpatch foi a Helsinque para participar da Slush, mas a empresa também levou o evento para Tóquio. O conceito provou ser tão convincente que os organizadores estão criando eventos via satélite para transmissão em outros países.

“Tínhamos oito equipes promovendo suas empresas e ideias”, diz Milkowski. “O vencedor da campanha de promoção ganhou um voo para Helsinque.”

A Startup Sauna no exterior

A Goodpatch, que auxilia na criação de interfaces do usuário e painéis de controle, foi a Helsinque para participar da Slush e também levou o evento para Tóquio.

A Goodpatch, que auxilia na criação de interfaces do usuário e painéis de controle, foi a Helsinque para participar da Slush e também levou o evento para Tóquio.Foto: Goodpatch

“Queríamos tornar a Finlândia um dos melhores lugares para se encontrar e construir empresas”, alega Juuso Koskinen da Startup Sauna, fundação sem fins lucrativos dedicada à melhoria do ecossistema de startups na região. “É por isso que é tão bom mostrar a outros países o que temos na Finlândia e destacar sua presença internacional em outros países.”

Além de agir como a força organizacional por trás da conferência Slush, a Startup Sauna gerencia um programa acelerador e auxilia estudantes a obter estágios em empresas de alta tecnologia.

“As operações internacionais da Startup Sauna consistem em grande parte na realização de eventos de treinamento de duração de um dia em várias cidades da região central dos países nórdicos, da Europa Oriental e Rússia”, alega Koskinen. “Portanto, este ano também realizamos eventos em Nairóbi, Quênia e Seul, na Coreia do Sul. Esses eventos têm como objetivo localizar e auxiliar startups locais e compreender o funcionamento do ecossistema local.”

O ecossistema vibrante e inovador da Finlândia foi responsável por muitos casos bem-sucedidos, e Koskinen explica que muitos desses empresários querem ajudar os outros.

“Durante os últimos cinco anos, a cultura finlandesa passou a ser o que chamamos de cultura de favores”, explica. “Isso significa que empresários em série e investidores hoje trabalham auxiliando novas empresas. Em geral, as relações no ecossistema são bastante estreitas, por isso sempre é possível encontrar alguém e obter ajuda com bastante facilidade.”

Incubando talento (Startup Sauna and New Factory)

 

Por David J. Cord, novembro de 2014

Veja também no thisisFINLAND

Links