Finlândia é pioneira em economia circular para garantir futuro próspero

O objetivo da economia circular é simples: deter o consumo excessivo para que possamos prosperar no futuro.

ler artigo

A idéia-chave da economia circular é separar a prosperidade crescente da super exploração dos recursos naturais virgens.

Estamos habituados a uma economia linear, em que os bens são fabricados a partir de matérias-primas, vendidos nas maiores quantidades possíveis e, por fim, descartados. Este modelo não funciona mais a partir do momento em que se tornou mais claro que os recursos naturais no único planeta disponível para nós, a Terra, são finitos. A crise climática e a perda de biodiversidade significam que teremos que deixar alguns recursos naturais inexplorados.

Incentivos de negócios

Retorno de garrafas no supermercado: a reciclagem é apenas o começo.Foto: Emilia Kangasluoma

Na economia circular, produtos são compartilhados com serviços, que são comprados em vez de bens. Os materiais são reutilizados várias vezes e os produtos projetados para serem duradouros. O material em produtos individuais é reutilizado quando estes chegam ao fim de suas vidas ou em uma fase intermediária de produção. Resíduos mínimos são criados tanto durante a produção quanto durante o uso do produto.

“Em muitas discussões públicas, a economia circular é apenas sobre reciclagem”, diz Mari Pantsar, diretora da Sitra.

Sitra é uma agência finlandesa focada no futuro. Como um fundo, é responsável por construir a Finlândia próspera de amanhã acelerando negócios sustentáveis.

“Já fizemos parte da transição para a economia circular, mas a nossa reciclagem e reutilização irregular e bem funcional dos produtos é apenas o primeiro passo”.

A Pantsar acredita que os principais desafios estão na criação de incentivos econômicos para impulsionar o uso de materiais reciclados.

“Produtos feitos de materiais reciclados ou são frequentemente mais caros ou a entrada no mercado é difícil. Escolher produtos feitos de materiais reciclados tem que fazer sentido financeiro para todos ”, diz Pantsar.

“Não há muita coisa singular sobre as atividades da economia circular: elas eram praticadas nos tempos pré-modernos, porque faziam sentido financeiro. Produtos eram compartilhados, duradouros e muitos eram reutilizados como um todo. Isso só não era conhecido pelo termo economia circular. Hoje, essas práticas são combinadas com plataformas digitais que permitem práticas de compartilhamento”.

Finlândia, pioneira em muitos aspectos

A diretora da Sitra, Mari Pantsar, diz que não há muita novidade nas atividades da economia circular. “Eles já eram praticadas nos tempos pré-modernos, porque faziam sentido financeiro”.Foto Roope Permanto

A Finlândia pretende criar o mercado de economia circular mais ambicioso do mundo, que incentiva o investimento e a criação de novas soluções.

O primeiro roteiro de economia circular do mundo foi anunciado na Finlândia em setembro de 2016. Seguindo o exemplo da Finlândia, nove outros países da UE elaboraram planos de ação semelhantes desde então. O primeiro evento para destacar as melhores soluções de economia circular do mundo, o World Circular Economy Forum 2017, foi organizado na Finlândia. Mais de 1.600 delegados do setor privado, tomadores de decisão e especialistas de mais de 90 países participaram. O evento promoveu a cooperação internacional na transformação da economia mundial. O fórum de 2018 foi realizado no Japão.

A lista de exemplos-chave de empresas de economia circular do Sitra é uma ferramenta popular de conscientização.

“Esperamos que tantas empresas quanto possível vejam a lista e ponderem se ela contém novas ideias para fazer negócios. Há empresas que estão na fila para entrar na lista, que atraiu interesse em outras partes do mundo também. ”, diz Mari Pantsar.

A economia circular é amplamente ensinada nas escolas já há um tempo: uma geração de jovens finlandeses já aprendeu sobre o fenômeno.

“Queremos desafiar os professores a ensinar a economia circular às crianças em todas as séries. Nosso objetivo é que todas as pessoas, independentemente de seu setor, entendam como realizar a economia circular, acabando com a necessidade de especialistas no assunto. ”

Por Samppa Haapio, Revista ThisisFINLAND 2019