Análise de imagens de IA finlandesa melhora a saúde

A Fimmic desenvolve soluções de software inteligentes em nuvem para microscopia digital, que acelera a análise de tecidos e permite melhor atendimento ao paciente.

ler artigo

A análise rápida e precisa de amostras de tecido acelera o trabalho de patologistas e pesquisadores e garante um melhor atendimento ao paciente.

Analisar amostras de tecido a maneira tradicional – lenta e vigorosa, debruçado em um microscópio – já pode ser coisa do passado. Patologistas e pesquisadores têm como acelerar e automatizar o processo de análise usando ferramentas desenvolvidas pela Fimmic, uma startup finlandesa fundada em 2013: a Aiforia, uma solução de software de microscopia virtual e uma plataforma de nuvem. A Fimmic é um spin-off do Instituto Finlandês de Medicina Molecular da Universidade de Helsinque.

“Nossa tecnologia de aprendizado profundo para análise de imagens de IA permite a automação rápida e precisa de tarefas complexas de análise de imagem, que não eram possíveis anteriormente”, afirma a CEO Kaisa Helminen.

“Nosso software de IA é treinado para detectar e quantificar objetos, categorizar tumores de câncer com base na progressão e identificar alvos raros, como parasitas da malária”, diz Helminen. “Pela primeira vez, podemos imitar um observador humano para entender o contexto no tecido.

“A solução funciona como uma ferramenta incansável de apoio à análise, ou como uma segunda opinião para patologistas e pesquisadores, acelerando o fluxo de trabalho e evitando erros humanos na interpretação. Desta forma, garante um melhor atendimento ao paciente. ”

Resultados em minutos

“Pela primeira vez, podemos imitar um observador humano para entender o contexto no tecido”, diz Kaisa Helminen, da Editmic. Foto: Sebastian Mardones/Health Capital Helsinki

O processo sob demanda é executado em um ambiente de computação em nuvem. A plataforma opera a base de software como serviço, o que significa que os clientes não precisam comprar hardware local e nem instalar qualquer software local. Tudo o que eles precisam fazer é enviar suas imagens de amostras de tecido digitalizadas para o serviço, e os resultados chegarão em minutos.

“Em 2018, o Aiforia será usado para analisar amostras de pacientes clínicos pela primeira vez”, diz Helminen. “Há também uma grande necessidade desse tipo de software na fase pré-clínica inicial do desenvolvimento de novos medicamentos”.

Os investidores concordam; a empresa fechou uma rodada de financiamento de cinco milhões de euros em novembro de 2017.

Por Leena Koskenlaakso, Revista ThisisFINLAND 2018

Veja também no thisisFINLAND

Links