Tempo de tradição

Nossa reportagem faz um pequeno apanhado sobre os adorados costumes e eventos natalinos na Finlândia.

ler artigo

Não importa o quão moderno o mundo se torne, o Natal sempre será celebrado seguindo as tradições antigas. Nossa reportagem mostra o que há de mais importante na temporada natalina finlandesa, do início de dezembro até a data que sucede o grande dia.

Após o primeiro fim de semana do Advento, a revelação das decorações natalinas ao público e uma série de celebrações pré-natalinas, o próximo feriado mais importante na Finlândia é o Dia da Independência, que coincide com a comemoração do dia de São Nicolau, em 6 de dezembro.

A próxima grande data que precede o Natal é o dia 13 de dezembro, dia de Santa Lúcia. Este dia é celebrado com uma bela procissão repleta de cantos, liderada por uma menina vestida de branco com uma coroa de velas. Esta prática teve origem na Suécia, onde foi relacionada ao Natal porque é realizada na metade de dezembro.

Lúcia foi uma empregada doméstica siciliana que desafiou seu pai ao recusar se casar com o marido que ele escolheu para ela. Ela morreu como uma mártir. As chamas das velas na procissão denotam seu martírio.

A véspera de Natal

2546-general2_b-jpg

Tradição surgida no século XIII, a “Paz de Natal” é declarada em Turku no dia 24 de dezembro. Foto: Esko Keski-Oja/City of Turku

Nos países nórdicos, a celebração natalina mais importante acontece na véspera de Natal. Entre as tradições norueguesas estão a sauna de Natal e a preparação para o jantar de Natal. O grande momento da noite ocorre quando o Papai Noel bate na porta e pergunta: “Tem alguma criança bem-comportada aqui?” Naturalmente, todos os lares têm apenas crianças bem-comportadas e todas elas são presenteadas.

Como a véspera de Natal é o dia mais importante das celebrações natalinas na Finlândia, não há nada mais apropriado do que a proclamação da Paz de Natal em Turku, a cidade mais antiga do país. A tradição data do século XIII.

Os sinos do século XIV na Catedral de Turku tocam enquanto a cerimônia ancestral é assistida pela televisão em muitos lares. E é a partir daí que as festividades são iniciadas.

O dia de Natal e os dias seguintes

O dia de Natal é reservado ao descanso e a atividades relaxantes, como ler os livros que o Papai Noel trouxe e comer a comida que sobrou da véspera. Todos esperam até o dia 26 (dia de Santo Estêvão) para visitar os amigos e parentes. E se o tempo permitir, também participam de eventos ao ar livre promovidos por organizações culturais.

Diz a lenda que Santo Estêvão foi um menino que trabalhou no estábulo do Rei Herodes e, na Finlândia, como em qualquer outro lugar, ele se tornou o padroeiro dos cavalos e cavaleiros. No dia de Santo Estêvão, os cavalos também fazem parte das celebrações natalinas. Antigamente, os cavalos é que puxavam os trenós quando as pessoas iam visitar amigos e parentes, e ainda hoje é possível usar esse meio de transporte no dia de Santo Estêvão.

A tradição das árvores de Natal finlandesas foi iniciada em 1829 e tornou-se popular no fim dos anos 1800. Foto: Miemo Penttinen/Plugi

Não se esqueça da árvore

A árvore de Natal é levada para casa no máximo até o dia 24 de dezembro. Uma estrela é colocada no topo dela e os galhos são enfeitados com doces, elfos, estrelas e maçãs, sendo que a maçã faz referência a Adão e Eva. No calendário finlandês, a véspera de Natal é o dia em que os nomes deles são celebrados. A alta-sociedade do campo e os habitantes das cidades começaram a adotar árvores de Natal em meados dos anos 1820. O registro mais antigo de adoção de árvores de Natal em um lar finlandês data de 1829, quando o dignitário de Helsinque, Barão Klinckowström, colocou oito delas em suas salas de recepção.

A população em geral começou a adotar a tradição em meados dos anos 1870, primeiro no sudeste e depois em outras regiões. No início do século XX, a árvore de Natal se tornava presente em quase todos os lares finlandeses.

Uma árvore de natal pública foi inaugurada na cidade de Tampere em 1894, e as autoridades de Helsinque decoram a praça do Senado com uma árvore de Natal a cada ano, desde 1930.

Helsinque também doa uma árvore de Natal por ano para Bruxelas desde 1954, assim como Oslo, a capital da Noruega, que também presenteia Londres com uma árvore para a Trafalgar Square.

Por Sinikka Salokorpi