Formando pacificadores nas escolas

Dia de Ahtisaari: finlandês vencedor do Nobel da Paz inspira crianças que aprendem a mediar conflitos nas escolas.

ler artigo

O Dia de Ahtisaari é celebrado anualmente na Finlândia em 10 de novembro (ou data próxima, dependendo do ano) em homenagem ao vencedor do Nobel da Paz Martti Ahtisaari. A resolução de conflitos é um dos pontos fortes da sociedade finlandesa, e é ensinada a alunos da escola global através de um treinamento para mediação de conflitos, que é o grande foco do Dia de Athisaari.

“Seria bom mediar conflitos entre os outros para ter paz e harmonia na nossa escola”, declara Iina, aluna do sexto ano. Com sua colega de sala Oona, ela participa do treinamento de mediação de conflitos promovido pela Vanttila School em Espoo. Esta manhã, elas aprenderam a primeira coisa importante sobre mediação: quando alguém fala, é responsabilidade do outro ouvir com atenção.

Mais de 400 institutos educacionais (creches, escolas globais e escolas secundárias superiores) já possuem mediadores treinados pelo Finnish Forum for Mediation (Fórum Finlandês para Mediação). Atividades semelhantes também têm sido testadas no exterior: na primavera finlandesa passada, um programa foi realizado em Uganda.

O treinamento enfatiza a cooperação e o esforço na busca por um resultado baseado na compreensão mútua. Um esforço é feito para resolver a situação que leva aos conflitos até que as pessoas envolvidas desempenhem um papel ativo na solução.

O desafio de permanecer neutro

2806-verso4_pusupiispanen_550px-jpg

O treinamento de mediação envolve uma apresentação teatral abordando uma série de emoções, do desentendimento à reconciliação. Foto: Laura Rautjoki

Quais são os conflitos a serem resolvidos pelas escolas? A lousa é preenchida com uma lista que abrange uma série de situações, como: fazer cara feia para alguém, esconder o gorro do colega de sala e até mesmo agredir alguém fisicamente. A realidade da vida escolar vêm à tona, e todos têm histórias para compartilhar: a de quem destruiu o castelo de neve feito pelo colega, a do espertinho que furou a fila da merenda e a de quem foi deixado de fora da brincadeira pelos outros.

Os alunos que concluem o treinamento de mediação trabalham em pares para resolver conflitos entre seus colegas de escola. Quando finalmente chegam a um consenso, os envolvidos assinam um documento no qual garantem que o conflito não se repetirá. Os mediadores e os envolvidos se encontram novamente em algumas semanas para garantir que o acordo foi mantido.

A ideia de promover sessões de mediação de conflitos entre as crianças da escola parece simples, mas nem sempre é fácil. Como o mediador pode permanecer neutro ao resolver os conflitos dos outros?

Ajudando a seguir em frente

2806-verso7_pusupiispanen_550px-jpg

Iina e Oona estão participando de treinamento de resolução de conflitos para ajudar a manter uma boa atmosfera na escola. Foto: Laura Rautjoki

“Alguns colegas já me perguntaram por que eu não cuido da minha própria vida”, relata Minea, aluna do nono ano que atua como mediadora há três anos. “Eu digo a eles que nós, mediadores, estamos aqui para transformar a escola em um lugar ainda melhor.”

Segundo Minea e sua colega de sala Susanna, a paciência é uma qualidade essencial a um bom mediador. Não há motivos para ficar chateado, mesmo quando o conflito não pode ser resolvido de imediato.

“Acho que um bom mediador também ajuda os envolvidos a seguir em frente, além de também pedir sugestões a eles sobre como o conflito pode ser resolvido”, afirma a mediadora.

Ao término do treino de mediação, os alunos da Vanttila School em Espoo (oeste de Helsinque) recebem um diploma que oficializa sua qualificação como mediadores. Os alunos se reúnem para refletir sobre as lições de cada dia. Os instrutores ressaltam aos mediadores recém-formados que eles devem respeitar a confidencialidade, que é preciso ser sempre neutro e que não se pode repreender os outros.

Com os olhos brilhando, eles referem-se aos alunos como futuros vencedores do Nobel da Paz. O mundo sempre precisará de pacificadores competentes para resolver conflitos delicados.

O Dia de Ahtisaari destaca
a resolução de conflitos na escola

O Dia de Ahtisaari é celebrado a cada outono finlandês ou perto do dia 10 de novembro, data que representa o nome Martti no calendário Finlandês. O ex-presidente finlandês Martti Ahtisaari, vencedor do Nobel da Paz de 2008, frequentemente visita várias escolas para encontrar-se com os alunos e premiar mediadores das escolas selecionados por seus colegas.

O prêmio celebra o reconhecimento dos alunos, grupos ou até mesmo membros do quadro de funcionários da escola que agiram de modo a promover a solução pacífica de conflitos. Geralmente, os premiados são mediadores recém-formados (alunos que trabalham para promover a paz em suas escolas).

Por Liisa Poussa, novembro de 2013

Veja também no thisisFINLAND

Links