O novo recurso natural da Finlândia

Os finlandeses amam o mundo natural e essa conexão vai além das atividades de lazer. Isto origina um novo recurso natural: grandes idéias que podem ajudar a mitigar as mudanças climáticas.

ler artigo

Henrietta Kekäläinen tornou-se escoteira aos seis anos de idade. Ela aprendeu a respeitar a natureza, a não deixar rastros, e sobre o direito de cada pessoa, o conceito finlandês que afirma, formalmente, que todos podem vagar livremente pelas florestas e pelo campo.

Mesmo na cidade de Espoo, a oeste de Helsinque, ela encontrou maneiras de experimentar o mundo natural, escalar rochas e construir fortalezas de neve.

“A natureza traz paz de espírito e faz com que nos sintamos em casa”, diz Kekäläinen. “Está profundamente enraizada na cultura nacional. Basta olhar o que acontece quando recebemos os primeiros raios de sol em maio. Os finlandeses saem correndo para brincar e jogar, como vacas que foram mantidas em um celeiro durante todo o inverno ”.

A busca para seqüestrar carbono

Carbo Culture, co-fundada pela empresária finlandesa Henrietta Kekäläinen (à direita), processa resíduos agrícolas em biocarvão, que seqüestram o carbono e pode ser usados para melhorar o solo. Kekäläinen está verificando as plantações experimentais com Lanette Anderson, uma gerente agrícola assistente da organização sem fins lucrativos californiana de cultivo responsável Hidden Valley.Foto: Carbo Culture

Como o ambiente é importante para Kekäläinen, ela realmente se preocupa com a sua destruição contínua.

“Não há muita vontade política em se combater a mudança climática, mas isso é algo que temos que resolver”, diz ela. “Nosso desafio fundamental é sequestrar exponencialmente o carbono”.

Essa crença levou Kekäläinen a co-fundar a Carbo Culture, uma empresa que produz biochar. Este material rico em carbono, que se parece com flocos de carvão, pode sobreviver no solo por milhares de anos enquanto simultaneamente aumenta a produtividade agrícola. A Carbo Culture montou uma fábrica na Califórnia, onde transforma resíduos agrícolas em biocarvão para uso em ambientes agrícolas e urbanos.

Onde o tempo é uma vantagem

Os invernos frios motivam muitas startups a se concentrarem na eficiência energética e no gerenciamento de energia. Nesta foto, uma camada de neve cobre o bairro de Pispala na cidade de Tampere.Foto: Jarkko Haarla / Visite Tampere

Anu Pousi, da Avanto Ventures, vê muitas boas idéias semelhantes em sua vida profissional. Ela trabalha com jovens startups especializadas em tecnologia limpa. Seu interesse pelo meio ambiente tem raízes profundas e precede seu trabalho atual.

“Enquanto crescia, passava verões em uma cabana de verão. Depois estudei geografia e ciências ambientais na universidade”, diz Pousi. “O interesse sempre esteve lá, mas eu precisava encontrar uma profissão para combinar tudo.”

Ela agora ajuda jovens empresas de tecnologia limpa a crescer. Ela acha que a Finlândia é um ótimo lugar para fazer isso, porque os nórdicos estão um passo à frente quando se trata de tecnologia verde.

“Uma vantagem que temos é o nosso clima”, diz Pousi. “Nossos invernos são longos e frios, e isso leva muitas startups a se concentrarem na eficiência energética e no gerenciamento de energia. O desafio é, então, levar essas soluções para o resto do mundo ”.

Maximizando o impacto positivo

O direito de cada pessoa, o conceito finlandês de que todos têm acesso ao campo para fazer caminhadas ou colher frutas, catalisou o interesse de muitas pessoas pela natureza e inspirou ideias sobre como mitigar a mudança climática.Foto: Laura Vanzo / Visit Tampere

Nem toda criança finlandesa brinca na floresta e sonha em parar a mudança climática. Antero Vartia levou mais tempo para perceber a importância do meio ambiente.

“Claro que eu passei tempo em cabanas de verão, mas para mim isso era apenas divertido”, diz ele. “Eu não me importava com o meio ambiente.”

Quando Vartia finalmente entendeu a importância do mundo natural, ele decidiu agir. Um sentimento de responsabilidade levou-o à política e ele foi eleito membro do Parlamento pelo Partido Verde. No entanto, ele deixou o Parlamento após um mandato porque achava que poderia causar um impacto maior fora da política.

“A política reflete o pensamento médio das pessoas”, diz ele. “As pessoas precisam mudar primeiro, e os políticos seguirão”.

A Finlândia pode liderar o caminho

A fundação sem fins lucrativos Compensate trabalha para permitir que as pessoas compensem as emissões de carbono, convenientemente, com uma pequena taxa ao pagar por uma refeição no restaurante ou fazer outras compras.Foto: Pia Inberg / Keksi

A ideia de Vartia para empoderar pessoas a mudar é a Compensate, uma fundação sem fins lucrativos que permite às pessoas compensarem suas emissões de gases de efeito estufa no momento da compra. Por exemplo, se você compra uma refeição vegetariana por 9,60 euros, no caixa você pode pagar 9,70 euros, incluindo dez centavos que serão usados para cultivar árvores para compensar as emissões de carbono de seus alimentos.

“Conversamos com muitas empresas finlandesas, mas para termos um impacto, a Compensate precisa ser global”, diz Vartia. “A beleza disso é que não é complicado. Queremos mostrar às pessoas quanto custam suas emissões e o que elas podem fazer a respeito. Eu acho que a Finlândia pode ser um ótimo exemplo para o mundo ”.

Por David J. Cord, outubro de 2019

Links