Indústria florestal finlandesa, parte 2

Florestas são ricas em valor recreativo

A parte dois da série sobre indústria florestal tem uma perspectiva diferente: sustentabilidade e valor não industrial.

ler artigo

Sem as florestas, haveria riqueza na Finlândia? A segunda parte, da nossa série de três partes, continuamos nossa pesquisa sobre a indústria florestal e seu futuro, dessa vez, partindo de uma perspectiva diferente: Analisamos a sustentabilidade e o valor não industrial das florestas.

Apesar da forte concorrência e do aumento da eficiência, as preocupações ambientais são uma importância crescente para a indústria florestal. Os consumidores modernos estão preocupados com as origens e os métodos de fabricação dos produtos que eles usam.

2424-oulankajoki-and-bird-550px-jpg

A Lei Florestal da Finlândia é fundamental para garantir a biodiversidade do ambiente florestal. Foto: Hannu Hautala/VisitFinland

Na Finlândia, a indústria florestal usa somente matérias-primas de “recursos certificados” – florestas onde a sustentabilidade foi levada em consideração.

A certificação da origem e cadeia de fornecimento de madeira está se tornando cada vez mais indispensável, assim como a indústria se torna cada vez mais global. Mais de 95% das florestas comercialmente utilizadas na Finlândia são certificadas, o que significa praticamente todas as florestas fora das áreas de conservação governamental. Em comparação, menos de 10% das florestas do mundo são certificadas.

As empresas finlandesas querem seguir as regras de certificação em seus projetos no exterior, assim como, se ocorrem na América Latina, China ou em outro lugar.

Florestas significam mais que apenas lucro

2424-mushrooms-picking-550px-jpg

O conceito jurídico de “direito de todos os homens” significa que as pessoas podem caminhar e colher frutas e cogumelos em quase qualquer lugar na Finlândia, não importa quem é o dono da terra da floresta. Foto: Riku Pihlanto/VisitFinland

As empresas florestais modernas visam combinar três elementos: econômico, ecológico e recreacional.

Embora quase 90% das áreas florestais da Finlândia sejam divididas para potencial uso comercial, pontos de vistas ecológicos e sociais não são negligenciados. Florestas também têm valor estético.

Dois terços das florestas finlandesas são propriedades particulares. Eles naturalmente querem cuidar bem de seus bens pessoais e utilizá-los de diversas maneiras, além de cultivar árvores para fornecer à indústria florestal. Querem caminhar, colher frutas, caçar, esquiar, acampar e participar de outras formas de lazer. As florestas são permeadas com lagos (a Finlândia tem 188 mil deles) onde as pessoas podem nadar, pescar, navegar e, no inverno, patinar no gelo.

A Lei Florestal da Finlândia estabelece como e onde o corte de árvores pode ser realizado. Essa lei é fundamental para garantir a biodiversidade do ambiente florestal. Há também um Programa para a Biodiversidade Florestal voluntário, conhecido por sua abreviatura em finlandês, METSO.

Esse programa permite aos proprietários florestais privados proteger as áreas selvagens do corte de árvores e receber pagamento de compensação que cobre o valor da madeira da área.

Fique atento e confira, aqui neste espaço, o próximo artigo da série que trata do valor não industrial da floresta e das mais inovadoras utilidades para a madeira e seus derivados.

Por Vesa Kytöoja, Fevereiro de 2013

Veja também no thisisFINLAND

Links